Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
3/04/20 às 13h59 - Atualizado em 3/04/20 às 17h27

Agentes protegem-se da Covid sem esquecer da dengue

COMPARTILHAR

-de

 

Profissionais da Vigilância Ambiental arriscam-se diariamente para enfrentar o Aedes aegipty

 

Mesmo com a recomendação de ficar em casa e fazer o isolamento social para combater a proliferação do coronavírus, muitos trabalhadores não podem parar suas atividades. Entre eles, estão os agentes de vigilância ambiental, que precisam driblar o vírus sem deixar de combater outro problema: a dengue.

 

Esses profissionais continuam percorrendo as ruas do DF e realizando inspeções nas residências. Por segurança, todos os agentes estão usando luvas nos procedimentos de tratamento químico e máscaras e, o acesso aos imóveis tem sido apenas nas áreas externas e não dentro das casas. Os demais cuidados são com lavagem das mãos e manter distância de dois metros do morador.

 

Além disso, antes de adentrar os imóveis, os agentes estão perguntando aos moradores se estão com algum problema de saúde, algum sintoma que seja relacionado à Covid-19. Caso a resposta seja positiva, o morador é orientado a ligar para receber atendimento e é cancelada a vistoria no imóvel.

 

“Quando está tudo certo, fazemos a vistoria somente na área externa da casa (quintal) e damos as orientações pertinentes ao trabalho. Ao sair de cada imóvel, os servidores estão orientados a pedir aos moradores para lavar as mãos, em seguida usam álcool gel e seguem para próxima residência”, explica a chefe do Núcleo Regional de Vigilância Ambiental de Planaltina, Michelle Peçanha.

 

INSEGURANÇA – Além de trabalhar se arriscando, ainda fica o medo de contrair o coronavírus e passar para a família. “O medo de levar o vírus para casa é muito grande. Nossos familiares também ficam receosos quando retornamos, principalmente, quem tem idosos em casa, que é o meu caso. Minha mãe tem 65 anos, ela está muito preocupada com a situação que estamos vivendo”, relata.

Segundo Michelle, o trabalho da Vigilância Ambiental é de extrema necessidade para promoção da saúde à população. “A dengue está circulando, então não podemos parar. Tomando os devidos cuidados, acredito que vamos superar essa pandemia e, também, controlar a circulação viral da dengue”, avalia a servidora.

 

COLABORAÇÃO – Além das ações da dengue, 70 servidores da Diretoria de Vigilância Ambiental (Dival) com formação em enfermagem ou técnicos de enfermagem estão dando um reforço à Subsecretaria de Atenção Integral à Saúde (Sais) na Campanha de Vacinação contra a Influenza.

 

Além disso, 30 caminhonetes da Vigilância Ambiental estão nas ruas do DF atuando como equipe volante de vacinação para dar suporte às Unidades Básicas de Saúde.

 

INSPEÇÕES – Devido à pandemia de coronavírus, a visita dos agentes de saúde para inspeção da dengue tem sido prejudicada. Aumentou a recusa da entrada dos agentes nos imóveis.

 

“Muita gente não está querendo deixar os agentes entrar, mas pedimos que não façam isso, pois esse trabalho é muito importante e estamos tomando todos os cuidados necessários relacionados ao coronavírus”, explica o diretor de Vigilância Ambiental, Edgar Rodrigues.

 

Ele esclarece que o acesso aos imóveis tem sido apenas nas áreas externas e não dentro das casas. “Neste sentido, pedimos a colaboração dos moradores, que aproveitem o fato de estarem em casa e façam essa vistoria dentro de seus imóveis, removendo os depósitos que acumulam água”, destaca.

 

Jurana Lopes, da Agência Saúde

Fotos: Geovana Albuquerque, da Agência Saúde

 

Leia também...