Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
8/02/13 às 20h24 - Atualizado em 30/10/18 às 14h57

Alerta sobre os perigos das espuminhas de carnaval

COMPARTILHAR

Cuidados para evitar danos à saúde

Uma brincadeira que pode acabar com a alegria de muita gente. O tradicional spray de espuma é  um dos produtos mais vendidos aos foliões durante o carnaval. Mas o que muitos não sabem é que essas espuminhas também podem causar sérios danos à saúde. Para garantir a diversão e a segurança de todos durante os quatro dias de folia, a Secretaria de Saúde do Distrito Federal orienta sobre os cuidados necessários ao utilizar esses produtos.

A composição desses sprays apresenta substâncias altamente perigosas que, em contato com a pele, pode causar reações alérgicas, urticárias e irritações, principalmente na garganta e nos olhos. Além disso, o gás utilizado para fazer funcionar o mecanismo do spray é um derivado de petróleo altamente inflamável, e ainda é responsável pela destruição da camada de ozônio.

Com preços acessíveis, o spray de espuma tem demanda crescente durante o período de carnaval e já caiu no gosto dos foliões, principalmente das crianças. Apesar dos riscos, é uma brincadeira que pode sadia, desde que todos tenham consciência de como fazê-las. As embalagens dos sprays das espuminhas nem sempre trazem as informações corretas sobre os cuidados a serem tomados.

O recomendável é não usar direto na pele, desviando sempre, principalmente do rosto. Se entrar em contato, lavar bastante com água corrente. Persistindo os sintomas, é necessário que a pessoa procuro um médico quando terminar a espuma do produto, nunca insistir, apertando o botão, porque está saindo só o resíduo do gás que está dentro da latinha.

Legislação
Desde 2007, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) estabelece critérios de segurança que devem ser seguidos para comercialização de fabricação desses produtos. Por exemplo, devem ser feitos testes toxicológicos que mostram que o produto não é absorvido pela pele, causando alergia. Além disso, toda embalagem deve ter alguns especificações como o nome do fabricante e o que fazer em caso de acidente.

No Distrito Federal não existe nenhuma lei que impeça a venda das espuminhas de carnaval, mas em outros estados existem leis que proíbem a venda e o uso dos mesmos. A ANVISA determina ainda que as Vigilâncias Sanitárias Estaduais tomem as providências necessárias quanto ao uso e comercialização em razão dos danos causados por esses produtos.

Hugo Mendes