Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
26/12/13 às 16h49 - Atualizado em 30/10/18 às 15h10

Amamentar protege mãe e bebê de doenças

COMPARTILHAR

Leite materno deve ser o único alimento até os seis meses de idade

Amamentar o bebê até no mínimo 24 meses de vida, além de proteger as crianças contra doenças e aumentar o vínculo entre mãe e filho, pode diminuir o risco de a mulher desenvolver câncer de mama e ovário.

De acordo com a coordenadora do banco de leite do Hospital Regional de Planaltina (HRP), a pediatra Maria Stael Mallost, só o leite materno é capaz de proporcionar proteção total. “Ele é alimento vivo, completo, rico em anticorpos e outros fatores de defesa. Até os seis meses de vida, a criança não precisa de nada além do leite materno”, orienta. Segundo a coordenadora, crianças amamentadas com leite materno têm menor risco de infecções de ouvido e gastrointestinais, diabetes e obesidade.

No Brasil, a recomendação das autoridades de saúde é de que seja oferecido à criança o aleitamento materno exclusivo até os seis meses de vida e, após esse período, seja mantido junto a uma alimentação saudável.

Para a nutricionista do HRP, Maria Gabriela Otollini, a mãe deve manter uma dieta rica em grãos e cereais integrais, frutas, verduras e legumes, e alimentos que sejam fonte de cálcio e ferro. “Deve ser fracionada, no mínimo cinco refeições por dia, sendo as principais (café da manhã, almoço e jantar). O restante pode ser intercalado com pequenos lanches”, explica.

Gabriela informa que no período de amamentação é comum que as mulheres sintam muita sede. Por isso, é sempre bom ingerir um copo de suco ou água antes de amamentar. O consumo correto de líquido auxilia na produção de leite necessária ao bebê. “Alimentos como o café, chocolates, refrigerantes, bebidas alcoólicas, produtos industrializados devem ser evitados, pois a ingestão dessas substâncias deixa o bebê irritado e sem sono”, afirma.

A dona de casa, Rosiane Rocha, teve um filho no HRP há 16 dias e está satisfeita, “tenho leite suficiente para o meu filho, durante a gestação evitei comer frituras, refrigerantes e vejo que ele é tranquilo”, diz.

Elisângela Silva Gomes, mãe e doadora de leite materno, já percebe a reação da filha diante do alimentos que consome“atualmente eu como de tudo, mas moderadamente, alguns alimentos eu observo que a minha filha tem rejeição, então evito”, relata.

Amamentação – O leite materno possui inúmeros componentes que ajudam a proteger as crianças de infecções, de doenças e até mesmo da morte.

A presidente da Comissão da Iniciativa Hospital Amigo da Criança de Planaltina, Maria do Socorro Aguiar, recomenda que o bebê seja amamentado dia e noite, sempre que tiver vontade. “O intervalo das mamadas é de acordo com a demanda do bebê. Sempre que ele chorar, o peito pode ser oferecido até que esteja saciado”, orienta.

Maria do Socorro complementa que o leite materno é importante para todos os bebês, principalmente para os que estão internados e não podem ser amamentados pela própria mãe. “Por isso conversamos com a mãe que tem leite em excesso, que procure o banco de leite mais próximo e seja uma doadora”, diz.

O Banco de Leite do Hospital Regional de Planaltina recebeu, no dia 25 de outubro, o certificado de Banco de leite Padrão Ouro. A certificação é referente ao desempenho no ano de 2013. Foram avaliados procedimentos referentes à produção da unidade, que estimula as mães a realizar o aleitamento materno, a pasteurização adequada do leite e a distribuição do leite coletado.

Confira a relação de bancos de leite no DF:
Hospital das Forças Armadas (HFA) – 3966.2250
Hospital da Asa Norte (HRAN) – 3325.4207/3325.4355
Hospital da Asa Sul (HRAS) – 3445.7597/3445.7514
Hospital Regional de Brazlândia (HRBZ) – 3479.9643
Hospital Regional de Ceilândia (HRC) – 3372.9652
Hospital Regional do Gama (HRG)- 3384.0337
Hospital Regional Planaltina (HRP)- 3388.9794
Hospital Regional do Paranoá (HRPA) – 3369.9980
Hospital Regional de Sobradinho (HRS) – 3387.3993
Hospital Regional do Santa Maria (HRSM) – 3392.6287
Hospital Regional do Taguatinga (HRT) – 3352.6900/3353.1017
Hospital Universitário de Brasília (HUB) – 3448.5391
Posto de Coleta São Sebastião – 3339.1125
Posto de Samambaia – 3458.9811