Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
7/07/17 às 17h21 - Atualizado em 30/10/18 às 15h17

Arcebispo visita HRGu e destaca importância da espiritualidade

COMPARTILHAR

Religioso também ressaltou trabalho dos profissionais de saúde

BRASÍLIA (7/7/17) – O Hospital Regional do Guará recebeu a visita de Dom Sérgio da Rocha, arcebispo de Brasília, e de Dom Marcony Vinícius Ferreira, bispo-auxiliar de Brasília, para a realização de uma missa na unidade. Na visita, Dom Sérgio destacou a importância do alento espiritual no momento difícil de enfermidade e ressaltou o valor da espiritualidade tanto na recuperação dos doentes quanto no dia-a-dia do trabalho em saúde. Estiveram presentes servidores da unidade, pacientes e moradores da comunidade.

A ligação entre saúde e espiritualidade não vem de hoje. O tema é objeto de teses e estudos científicos. O trabalho de capelania é instituído por lei federal e na Constituição Federal está garantido o direito à assistência religiosa aos cidadãos que estiverem em local de internação coletiva. Assim, todos os hospitais do Distrito Federal recebem entidades que se revezam para prestar essa assistência aos pacientes. Dom Sérgio enfatiza que esse trabalho é realizado de forma totalmente respeitosa entendendo a pluralidade e diversidade de credo. A cada 15 dias, se organiza para visitar as cidades e as unidades apontadas pelos padres locais.

“Estou sempre andando na comunidade e esse é um vínculo que não se pode quebrar. É necessário ir além das paredes de uma igreja. Então, me organizo para estar junto das pessoas e o padre local me ajuda a organizar essas visitas de acordo com a necessidade de cada comunidade. O hospital é parte sensível nisso, pois vemos o quanto essa assistência espiritual ajuda na recuperação das pessoas como também traz um despertar espiritual”, declarou.

Entre vários assuntos abordados em sua fala, Dom Sérgio ressaltou o respeito aos profissionais, o reconhecimento do trabalho realizado pela saúde e a responsabilidade de cada um em cuidar de seu corpo de forma preventiva. Além disso, destacou que é papel da Igreja ajudar na conscientização de comportamentos que promovam o bem a si mesmo e à comunidade ao qual o cidadão está inserido.

“Sabemos que a Saúde é uma área sensível e que todos trabalham com carinho e dão o melhor de si em condições muitas vezes desfavoráveis. Isso não acontece só no público. É sabido que até no particular, temos limitações de atendimento. Nesse cenário, é preciso respeitar o próximo e os trabalhadores. As pessoas cobram muito e dão pouco de si. Estão esquecendo-se de serem gratos. Precisamos entender e tratar o ser humano em sua dimensão corporal, mental e espiritual”, ressaltou.

CAMPANHA DA FRATERNIDADE – Em 2016, a igreja teve um papel importante no combate ao Aedes aegypti e suas doenças. Com sua capacidade de organização e mobilização, entidades religiosas foram convocadas para em suas missas e cultos, além de efetivamente por a mão na massa, combater o Aedes na epidemia de Zika. Neste ano, o tema da Campanha da Fraternidade é “Fraternidade: biomas brasileiros e defesa da vida”, e o lema “Cultivar e guardar a criação”. Nessa linha, todos são convocados a realizar ações que levem as pessoas a agirem em favor do assunto.