Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
18/05/15 às 12h36 - Atualizado em 30/10/18 às 15h12

Atendimento domiciliar pode reduzir gastos públicos em até 70%

COMPARTILHAR

Além disso, diminui riscos de infecção do paciente e desocupa leitos

BRASÍLIA (18/5/15) – Apesar da crise que afetou a saúde pública do DF, o atendimento dos Núcleos Regionais de Atendimento Domiciliar (NRAD), do Programa de Internação Domiciliar da Secretaria de Saúde do DF, apresentou avanços significativos nesses primeiros meses de gestão. O atendimento se manteve normal e houve reforço de carros e novas camas.

“Como as equipes são específicas para o atendimento domiciliar, não dependem de escala. Em razão disso, não atrapalha as visitas aos pacientes”, destaca a gerente de Atenção Domiciliar da Secretaria de Saúde, Maria Leopoldina de Castro. Desde o início do ano, o programa tem mantido uma média de cerca de 1.100 pacientes, que podem entrar ou sair deste tipo de atendimento dependendo da melhora ou agravamento da doença.

Leopoldina diz que o atendimento foi, inclusive, facilitado com a aquisição de 30 veículos modelo Doblô para levar os profissionais até os pacientes. Foi a primeira vez que o programa recebeu uma frota exclusiva para essa finalidade. Os recursos para a aquisição, na ordem de R$ 1,8 milhão, vieram do Ministério de Saúde.

Atualmente, 16 equipes multiprofissionais atuam em todas as 15 coordenações regionais de saúde. De acordo com o secretário de Saúde, João Batista de Souza, em breve devem ser credenciadas quatro equipes junto ao Ministério da Saúde. Com isso, o DF poderá receber mais R$ 200 mil mensais do governo federal.

Segundo o subsecretário de Atenção Primária à Saúde, Berardo Nunan, o programa deverá ser ampliado em breve, conforme o plano de ampliação da atenção básica na rede de saúde pública do DF. “Muitos pacientes atendidos pelos núcleos têm perfil para serem atendidos por equipes de saúde da família. Sendo assim, quando ampliarmos as equipes de saúde da família, teremos mais vagas para atendimento domiciliar”, explica.

VANTAGENS – Hoje, 1.160 pessoas são atendidas nos NRADs. A maioria delas, em Ceilândia, onde 155 pacientes são assistidos. São público alvo pessoas acamadas, dependentes de um cuidador, portadoras de sequelas e co-morbidades de doenças crônicas. Quem tem necessidade de ventilação mecânica invasiva contínua e enfermagem intensiva, porém, não entra no programa.

“O atendimento domiciliar é vantajoso para o paciente, para a família dele e para o sistema público de saúde. Além do atendimento se tornar mais humanizado, o paciente tem menos riscos de infecções e re-internações. Saindo do hospital, ele desocupa o leito e diminui os custos do governo de 30% a 70%”, frisa Maria Leopoldina de Castro.

Uma das pacientes atendidas pelo programa, a moradora de Samambaia Maria Ramos, 81 anos, tem Alzheimer há cerca de 20 anos. Nos últimos seis anos ela vem sendo assistida pelos profissionais do NRAD. “Acho que se não fosse por eles, ela já teria morrido”, conta a filha de Maria, Ana Luiza Ramos. Ela diz que a mãe perdeu os movimentos e já não se alimentava mais.

Hoje, Maria Ramos vive em uma maca, alimenta-se por sonda e respira por traqueostomia. Os cuidados diários ela recebe da carinhosa filha, que dorme no mesmo quarto da mãe. “Assim é melhor, porque qualquer coisa que ela sente eu estou por perto. E fico num lugar confortável. No hospital, às vezes eu não tinha nem cadeira para me sentar. Sem contar que com ela aqui nunca temos problemas com falta de médicos e para fazer exames. Os profissionais do NRAD fazem tudo”, observa.
Também atendido em casa, o aposentado José Augusto Siqueira, 87 anos, viu bastante melhora no tratamento quando passou a receber os cuidados em domicílio, onde vive ao lado da esposa, Margarida Luiza Siqueira, do filho Erival José, e da cuidadora Abadia Rodrigues. Ele teve uma das pernas amputadas, após pegar uma infecção hospitalar em uma clínica particular.

Após algumas internações no Hospital do Gama, para onde foi orientado a ir por ser referência em ortopedia, e no Hospital Regional de Taguatinga, José Augusto foi para casa e recebe a visita da equipe do NRAD periodicamente. “O pessoal é 'uma mão na roda'. Eles vêm e cuidam dele e de mim, que tenho alguns problemas de saúde”, conta a esposa.

PROGRAMA- O atendimento domiciliar existe no DF desde 1994, quando era feito informalmente, por profissionais que trabalhavam de forma voluntária. Em 2006, o Ministério da Saúde publicou uma portaria da internação domiciliar, evoluindo, em 2011, com o lançamento do programa Melhor em Casa. “Nessa redefinição, o governo federal passou a disponibilizar recursos financeiros para cada município ou estado que aderisse à essa política. Com isso, recebemos um quantitativo mensal de R$ 50 mil para as equipes multiprofissionais”, diz Maria Leopoldina.

A equipe é formada por médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem, fisioterapeuta e assistente social. Mas outros profissionais também podem compor o grupo, como fonoaudiólogo, nutricionista, terapeuta ocupacional, odontólogo, psicólogo e farmacêutico.

Para ter acesso aos serviços do Programa de Internação Domiciliar no DF, o paciente ou responsável por ele deve entrar em contato com o NRAD da região onde mora. A solicitação de internação domiciliar sempre será realizada por meio de Relatório Médico detalhado, proveniente tanto dos serviços da da rede de saúde como Clínica da Família, centros de saúde, hospitais e UPA, quanto dos próprios familiares e/ou responsáveis pelo paciente.

Dentre os critérios de admissão estão: residência e domicílio comprovado no Distrito Federal; cuidador identificado e quadro clínico compatível com o perfil do serviço.

 

Número de atendidos por região

Asa Norte

73

Asa Sul

24

Brazlândia

34

Ceilândia

155

Gama

85

Guará

69

Núcleo Bandeirante

77

Paranoá

30

Planaltina

108

Recanto das Emas

80

Samambaia

109

Santa Maria

61

São Sebastião

36

Sobradinho

118

Taguatinga

114

 

Contatos:

– Gerência de Atenção Domiciliar – GEAD: (61)3348-6261/3348-2575.

– NRAD Asa Norte: 3327-3098. E-mail: nrad.hran@hotmail.com

-NRAD Asa Sul: 3445-7729/3445-7751. E-mail: nradregionalsul@gmail.com

– NRAD Brazlândia: 3479-4903. E-mail: nradhrbz@gmail.com

-NRAD Ceilândia: 3471-9210/3371-1482. E-mail: nradceilandia@gmail.com

– NRAD Gama: 3556 6817. E-mail: nradgama@gmail.com

-NRAD Guará: 3901-7658. E-mail: nradguara@gmail.com

– NRAD Núcleo Bandeirante: 3386-3929. nrad.cnbpwrf@gmail.com

– NRAD Paranoá: 3369-9857. E-mail: nrad.paranoa@gmail.com

– NRAD Planaltina: 3388-9781. E-mail: nradplanaltina@bol.com.br

– NRAD Recanto das Emas: 3334-1319. E-mail:Â nradrecantodasemas@gmail.com

– NRAD Samambaia: 3458-9871. E-mail: nradsamambaiadf@gmail.com

– NRAD Santa Maria: 3392-6415. E-mail: nradsantamaria@hotmail.com

– NRAD São Sebastião: 3335-1378. E-mail: nradss@gmail.com

– NRAD Sobradinho: 3387-0628. E-mail: nradsobradinho@hotmail.com

– NRADTaguatinga: 3351-4623/3353-1057. E-mail: nrad1.hrt@gmail.com