Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
11/01/12 às 18h53 - Atualizado em 30/10/18 às 14h57

Atendimento humanizado para criança e adolescente

COMPARTILHAR
O Centro de Orientação Médio Psico-pedagógica – Compp –  no Setor Médico Hospitalar Norte, Quadra 3, conjunto 01, bloco A-  é a unidade da Secretaria de Saúde especializada em saúde mental infanto-juvenil. O centro recebe pacientes com até 18 anos de idade, por demanda espontânea, ou encaminhados pela Secretaria de Educação, pelos conselhos tutelares, pela justiça e até por clínicas particulares. No Compp são atendidos aproximadamente seis mil pacientes por mês.
O acolhimento humanizado é realizado diariamente, nos turnos matutino e vespertino, por profissionais capacitados e por classificação de risco. Tentativa de suicídio, crise de agitação psicomotora, transtornos alimentares, crises convulsivas e exploração sexual são exemplos de situações que exigem atendimento imediato, classificados como prioridade zero (cor vermelha).
Pacientes que necessitam de atendimento rápido, mas que não correm risco de vida imediato são classificados como prioridade 1 (cor amarela). São ocorrências de desajustamento escolar com ameaça de expulsão, abandono escolar, auto-agressividade, isolamento excessivo, medo intenso e choro incontrolado. Não são considerados urgentes (prioridade 2, cor verde), os pacientes que apresentam dificuldades na linguagem, ansiedade e agressividade verbal. Baixo rendimento escolar, pesadelos e desobediência estão entre os casos considerados de baixa complexidade (prioridade 3, cor azul).
São abertas 12 vagas diariamente – seis às 7h30 e seis às 13h30, para casos que são colocados em ordem de prioridade, de acordo com a gravidade e urgência de cada um. É oferecido atendimento ambulatorial nas áreas de assistência social, educação física e artística, enfermagem, fonoaudiologia, neurologia (acima de 12 anos), neuropediatria (abaixo de 12 anos), nutrição, psicologia, psicopedagogia, psicomotricidade, psiquiatria e terapia ocupacional.  A equipe multidisciplinar é composta por 87 profissionais da Secretaria de Saúde.
“O tratamento é demorado. Em alguns casos pode levar até quatro anos para reinserir uma criança na família e na escola”, explica a diretora do Compp, Simone Maria Guimarães. O atendimento à criança se dá por meio de quatro projetos interdisciplinares.  O Projeto de Déficit de atenção com hiperatividade atende crianças com diagnóstico de hiperatividade e déficit de atenção.  Além do atendimento ao paciente, o projeto inclui orientação aos responsáveis por meio do Grupo de Pais, visando melhorar o relacionamento familiar e na comunidade.

O Projeto Dislexia é voltado para tratamento de transtornos da leitura/escrita. Segundo Simone Guimarães, é o único projeto da Secretaria de Saúde que auxilia a Secretaria de Educação na inclusão escolar de crianças e adolescentes com este transtorno.

O Grupo de Atendimento aos Transtornos Alimentares – GATA – está entre os mais procurados no Compp. É o único grupo no Distrito Federal a prestar atendimento a crianças e adolescentes portadores de transtornos alimentares graves – anorexia, bulimia e obesidade.  Cerca de 300 jovens são atendidos pelo programa atualmente.
Outro programa que registra grande demanda no Compp é o Jasmim/PAV – Programa de Atendimento e Prevenção à Violência – que visa o atendimento interdisciplinar de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade e risco pessoal e social decorrentes de maus tratos físicos ou psíquicos, exploração ou abuso sexual. Na Ludoteca do Compp o paciente conta com espaço adequado e humanizado ao atendimento por meio de brinquedos, jogos, bonecos sexuados e materiais pedagógicos.  A assistente social Fátima Mesquita explica que muitas vezes durante uma brincadeira na ludoteca a criança pode, por exemplo, identificar seu ofensor.
O Compp oferece ainda oficinas terapêuticas visando restabelecer a cidadania das pessoas com transtornos mentais e sua reinserção social. Os cuidadores tem oportunidade de participar de oficinas de habilidades manuais, onde confeccionam produtos artesanais.  Segundo a terapeuta ocupacional Liliane Costa, nas oficinas são desenvolvidas ainda Atividades da Vida Diária – AVD – para orientar as crianças sobre autonomia e sexualidade.
No Centro de Orientação Médico Psico-Pedagógica funciona o único Centro de Atenção Psicosocial Infanto-Juvenil – CAPSi – que presta atendimento a portadores de transtornos mentais graves como autismo e psicose. O Comppoferece treinamento teórico e prático em psiquiatria da infância e adolescência para 12 residentes de psiquiatria dos Hospital de Base e do Hospital São Vicente de Paulo, além de duas vagas em residência médica em psiquiatria da infância e adolescência.
Ascom – SES-DF
 
Fotografia Renata Sousa