Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
30/06/16 às 22h29 - Atualizado em 30/10/18 às 15h15

Brasília Saudável é lançado durante seminário sobre Atenção Primária

COMPARTILHAR

Programa prevê aumento de cobertura de saúde da família

BRASILIA (30/6/16) – O programa Brasília Saudável, que estabelece o fortalecimento da Atenção Primária na Saúde Pública do Distrito Federal, foi lançado, oficialmente, nesta quinta-feira (30), durante seminário que apresentou a importância desse foco para o atendimento de qualidade à população e mostrou modelos de gestão que deram certo em outros estados do Brasil.

O lançamento foi feito na presença do governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, do secretário de Saúde, Humberto Fonseca, de representantes do Conselho de Saúde de Brasília, do Conselho Nacional de Secretários de Saúde e servidores da Secretaria de Saúde do DF.

Durante a abertura, Humberto Fonseca destacou a importância desse momento para a Saúde do DF. “É um momento que reconhecemos a necessidade de fazermos bons investimentos em saúde, aproveitando os nossos escassos recursos, com a construção de uma atenção primária resolutiva”, frisou.

O secretário destacou, ainda, que este seminário abre o debate sobre a nova proposta do Governo de Brasília. “Queremos dialogar, apresentar nossa proposta e implementar esse programa que será benéfico para a nossa população”, disse.

O governador de Brasília também destacou a importância de debater o tema com todas as esferas da sociedade e disse que sua “maior felicidade será entregar um sistema de saúde para Brasília melhor do que recebi”, afirmou Rollemberg.

PROPOSTA – Durante o seminário, o estudioso de sistemas de saúde pelo mundo, Eugênio Vilaça mostrou a importância de investir em Atenção Primária, trazendo exemplos de outros Estados e até mesmo de outros países.

“O DF tem uma superestrutura hospitalar e uma atenção primária frágil. Esse modelo não dá conta da situação. É preciso inverter, como fizeram Rio de Janeiro e Fortaleza”, frisou Vilaça.

O secretário municipal de Saúde do Rio de Janeiro, Daniel Soranz, apresentou a evolução da atenção primária em seu estado. O modelo a ser adotado no DF será semelhante ao de lá. “Saímos de uma cobertura de 3,5% em 2008 para 70% em 2016”, apontou.

A meta do Distrito Federal – considerada por Humberto Fonseca como ousada, mas perfeitamente possível – é sair dos atuais 30,7% para 62% até o final de 2018.

Para isso, a Secretaria de Saúde do DF traçou metas a curto, médio e longo prazo. Entre as propostas estão maior qualificação dos profissionais de atenção primária, aumentar a quantidade de unidades básicas de saúde e o número de equipes de saúde da família e mudar o modelo de gestão, contado com a parceria com organizações sociais.

Segundo Fonseca, a meta é aumentar o número de equipes de saúde da família de 239 para 485, reformar 115 unidades básicas de saúde e construir mais 57. O objetivo é que essas equipes sejam compostas por um médico de família, um enfermeiro de família, dois técnicos de enfermagem e cinco agentes comunitários de saúde.

PROGRAMA – O programa Brasília Saudável estabelece a atenção primária com foco na Saúde da Família. As atividades serão desenvolvidas, inicialmente, em 15 unidades da Região Oeste de Saúde, que engloba Ceilândia — a cidade mais populosa de Brasília e com regiões carentes como o Sol Nascente, o Pôr do Sol e a Expansão do Setor O.

O novo modelo de gestão do governo de Brasília considera também parcerias com organizações sociais, modelo adotado em outras unidades federativas. O município do Rio de Janeiro é apontado como um caso de sucesso.

Veja as fotos aqu