Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
25/11/15 às 15h24 - Atualizado em 30/10/18 às 15h13

Brasilienses lotam Hemocentro em Dia do Doador de Sangue

COMPARTILHAR

Programação especial vai até o fim de semana e terá shows, massagens, e lanche especial para os voluntários

BRASÍLIA (25/11/2015) – Em sua 24ª doação, Carolina Pereira de Oliveira, 26 anos, foi uma das 326 pessoas que compareceram à Fundação Hemocentro de Brasília (FHB) na manhã desta quarta-feira (25), Dia Nacional do Doador de Sangue, para fazer um gesto de solidariedade. A trajetória da jovem começou cedo, aos 18 anos, quando a brasiliense já tinha consciência da importância do ato.

“Eu já me acostumei com a agulha. Fico feliz em saber que posso contribuir, mesmo que seja com pessoas que não conheço. Sei que esse essa doação pode salvar vidas e um dia também posso precisar”, disse.

“Na minha família não só eu faço essa contribuição, mas os meus 10 primos vem aqui com frequência para fazer esse gesto de solidariedade”, disse outro jovem, Jeferson Alencar, que estava em um dos 14 leitos para doação e, aos 20 anos, já doou seis vezes.

A expectativa é de que hoje o número de doações seja o triplo do registrados em dias normais, quando guichê marca, no máximo, cerca de 200 senhas. Os doadores estão sendo atendidos por servidores usando máscaras de personagens como Capitão América e Mulher Gato.

Além disso, para atrair mais candidatos ainda não fidelizados e homenagear quem já contribui, o Hemocentro preparou uma programação que vai até o fim da semana, que inclui massagem, shows musicais, lanche especial, filmes, teatro, videogames, além de ações de conscientização que visam incentivar e agradecer os voluntários.

SOLIDARIEDADE COMPROVADA – A diretora presidente, Mirian Scaggion, lembra que a solidariedade do brasiliense também já é confirmada pelos números. De acordo com dados oficiais do Hemocentro, aproximadamente 2,03% da população do DF é doadora, o que coloca a unidade da federação acima da média nacional, que não chega a 2%.

“A Organização Mundial da Saúde preconiza que entre 3% e 5% da população doe sangue e, no Brasil, o número é de apenas 1,8%. Felizmente, o Hemocentro de Brasília tem atendido a 100% da demanda de sangue do Distrito Federal, o que ocorre em função das nossas campanhas e da colaboração da população”, contabilizou Mirian Scaggion.

Segundo a diretora presidente, o Hemocentro faz um trabalho intenso de conscientização para fidelizar os doares, com a promoção de campanhas, envio de e-mails e com a oferta de agendamento do atendimento pelo telefone 160, opção 2.
Em 2013, 55.380 mil pessoas doaram sangue. Em 2014, foram 56.329 e, até o nono mês deste ano, 47 mil doadores foram registrados.

MITOS – Cada doação de sangue pode beneficiar até quatro pessoas. Para quem pensa que a doação ajuda apenas transfusão de sangue, a diretora executiva da FHB e médica hematologista e hemoterapêuta, Aveline Azevedo explica que entre os beneficiados estão até mesmo pacientes oncológicos ou queimados, que recebem insumo retirado do sangue que ajuda na recuperação da pele.

“Temos outros mitos também que precisam ser quebrados. Muita gente pensa que a doação transmite doenças ou pode engordar ou emagrecer. Mas isso não é verdade. O sangue também não afina, nem engrossa e quem doa não sofre nenhum malefício”, destacou a profissional.

QUEM PODE DOAR – Para se tornar um doador, é necessário ter entre 16 e 69 anos, pesar mais de 50 quilos, não ter ingerido bebidas alcoólicas nas últimas 24 horas que antecedem a doação, além de estar alimentado.

Também é necessário respeitar os intervalos de doação, sendo que para mulheres o período é de, no máximo, três vezes ao ano ou a cada quatro meses e, no caso dos homens, a doação pode chegar a quatro vezes por ano.

Confira outras fotos aqui