Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
16/05/13 às 19h00 - Atualizado em 30/10/18 às 15h05

Canal de TV da Fiocruz será exemplo para criação da TV Saúde

COMPARTILHAR

TV pública transmitirá informações sobre saúde para a população

Representantes de conselhos municipais e estaduais de Saúde, assessores de comunicação de secretarias de Saúde de todo o país e representantes de órgãos vinculados ao tema, participam nesta quinta-feira (16) e sexta-feira (17) do seminário “Que Canal Saúde Você Quer?”, na sede da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz,) no Rio de Janeiro para discutir o atual e o futuro conteúdo desse instrumento público de comunicação. Atualmente o Canal Saúde é transmitido pela internet e por algumas TVs a cabo.

A experiência do Canal Saúde já é replicada em forma de canais locais em alguns estados. Em Minas Gerais, o “Canal Minas Saúde” oferece informações para a sociedade e treinamentos de servidores por meio de vídeo-aulas. De acordo com o chefe da comunicação da SES/DF, Leonardo Ribbeiro, no Distrito Federal, um estudo foi concluído e está em tramitação o processo para implantação da TV Saúde. “A intenção é seguir o que já faz a Fiocruz e oferecer programas que levem informações sobre saúde para a população”, afirmou.

O evento
Na manhã dessa quinta-feira (16), a mesa de abertura reuniu representantes do Ministério da Saúde, Conselho Nacional de Saúde (CNS) e da Fiocruz. Juntamente com a assessoria de comunicação do Conselho em Brasília e Rio de Janeiro, o secretário municipal de Belford Roxo/RJ, Dr. Fábio Denardin, foi o representante do Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde – CONASEMS.

Após a mesa redonda, foi discutido o tema Comunicação, Televisão e Saúde Pública com a participação de Pedro Ekman, integrante do Intervozes – Coletivo Brasil de Comunicação Social; Rodrigo Murtinho, pesquisador do Laboratório de Comunicação e Saúde (Icict/ Fiocruz), e Gisele Bicalho, assessora de Comunicação Social da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais. Os cenários da Comunicação e da Comunicação em Saúde no Brasil foram apresentados com uma visão estratégica da comunicação na área da saúde, apresentando a parte prática de como usar a programação do Canal Saúde.

Um segundo painel, intitulado “Que Canal Saúde você quer ver?”, foi realizado após o almoço com a participação de Zenite Bogea, da Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa (SGEP) do Ministério da Saúde; Nadja Araújo, representante da sucursal de Brasília do Canal Saúde, e Márcia Corrêa e Castro, superintendente do Canal Saúde. Após a apresentação do Canal aos participantes do seminário, foram discutidos temas como a importância do Programa de Inclusão Digital (PID) para os Conselhos de Saúde.

Após os painéis serão montados Grupos de Trabalho, que, no dia 17, apresentarão propostas de atuação conjunta entre os conselhos, secretarias e o Canal Saúde. Além disso, a programação do seminário inclui uma visita aos estúdios da emissora e ao campus da Fiocruz.

Anos anteriores
“O Que Canal Saúde você quer ver?” dá continuidade ao trabalho iniciado com dois outros seminários: o “Que Saúde você vê?” e o “Que Canal Saúde você vê?”, realizados em 2001 e 2004, e estendido com oficinas realizadas em diferentes estados. A expectativa do novo evento é alcançar os mesmos bons resultados de aproximação com os gestores da área da saúde obtidos nas primeiras edições.