Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
8/08/13 às 21h10 - Atualizado em 30/10/18 às 15h06

CAPS Álcool e Drogas de Sobradinho II já realizou 1.800 atendimentos neste ano

COMPARTILHAR

Referência em Sobradinho I e II, Planaltina e Fercal, o Centro de Atenção Psicossocial Álcool e outras drogas (CAPS ad), especializado no tratamento de pessoas que fazem uso abusivo ou são dependentes de álcool e outras drogas, realizou 1.800 atendimentos neste ano. 

O atendimento na unidade envolve desde o acolhimento, avaliação, até um plano terapêutico singular, de acordo com o padrão de uso da pessoa: dependente, abusivo ou circunstancial. Qualquer pessoa pode procurar o centro, que fica aberto todos os dias, das 7h às 18h, no Brasília Centro Médico em Área 17, Chácara, 14, em Sobradinho II.

Segundo CAPS ad a começar a funcionar no Distrito Federal, em 2006 ( o primeiro foi inaugurado no Guará, em 2004), a unidade pública de saúde busca sempre projetos em benefício do paciente. Um exemplo é a parceria com o Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios, iniciada em 2011, com o intuito de ajudar a sensibilizar o infrator.

“Após ser pego com drogas ilícitas, o usuário não é preso, mas sabe que isso é ilegal. Então, ele recebe uma advertência (termo circunstanciado) e deve participar de programas, cursos ou de serviço social, como medida sócio-educativa. E é aí que entramos com o objetivo de fomentar um apoio ao usuário, e realizar uma prevenção secundária, e terciária, por exemplo”, conta a psicóloga Cláudia Feres. A equipe do programa também conta com uma assistente social e um pedagogo.

O participante tem de quatro a cinco encontros por mês, em grupos de 10 a 20 pessoas. De acordo com o gerente do CAPS, Luiz Felipe Castelo Branco, todos os programas educativos são válidos. “Ainda que a ação promova um efeito pequeno, já que é algo “obrigado”, motivamos a pessoa a ter um reflexo sobre sua relação com a substância, e quando ela realmente faz parte da vida da pessoa, oferecemos tratamento. Já tivemos muitos resultados positivos. A população precisa saber que o CAPS existe e está de porta abertas”, destaca o gerente.