Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
24/05/13 às 18h53 - Atualizado em 30/10/18 às 15h05

Combate ao álcool e outras drogas é reforçado em Taguatinga

COMPARTILHAR

Região também passa a contar com centro de atendimento à população de rua 

O primeiro Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas Infanto – Juvenil (CAPS ad III) de Taguatinga, especializado em tratamento de usuários de drogas, e uma Unidade de Acolhimento, que oferece cuidados em regime residencial, por até seis meses, foram inaugurados nesta sexta-feira (24), na QNF, Área Especial 24, em Taguatinga.

“Só vamos vencer se todos estivermos juntos, governo e sociedade ”, disse a ministra da Casa Civil da Presidência da República, Gleisi Hoffman, que destacou o fortalecimento das ações governamentais na saúde com a inauguração da unidade, como parte do Programa “Crack é possível vencer”.

De acordo com o governador Agnelo Queiroz, é de relevante importância a inauguração de um espaço destinado ao atendimento de usuários álcool e drogas e pessoas em situação vulnerável. “O CAPS ADi III terá como foco o tratamento da dependência química e reinserção social, para que o adolescente tenha em casa o que procura na rua. Destaca-se que a UA tem a estrutura que lembra casa e equipe de profissionais especializados para atender esse paciente”, afirmou o governador.

Nos casos em que há necessidade de o serviço público ser levado até o usuário em situação de rua, os profissionais do Consultório na Rua realizam intervenções em saúde, com equipes que atuam em conjunto com os demais profissionais de saúde na prevenção, identificação dos usuários de drogas e encaminhamento aos serviços do Sistema Único de Assistência Social (Suas) e do Sistema Único de Saúde (SUS).

Nesta sexta-feira também foi entregue à população um Centro de Referência Especializado para a População em Situação de Rua (Centro POP) e a primeira base móvel – das três unidades previstas para o DF – que será destinada ao policiamento ostensivo nas áreas próximas, onde há concentração de uso de drogas, juntamente com 20 câmeras de videomonitoramento fixo, duas viaturas, duas motocicletas, 50 pistolas de condutividade elétrica e 150 espargidores de pimenta.

Para o secretário de Saúde, Rafael Barbosa, a participação de uma equipe multidisciplinar é fundamental na atuação do serviço oferecido. “O CAPS Adi III é uma unidade voltada ao atendimento clínico, com psicólogos, médicos, e enfermeiros, que tem como objetivo retirar o jovem do crack. Se houver necessidade de acolhimento, esse paciente receberá atendimento dos nossos profissionais.”, destaca o secretário.

No âmbito do Programa Crack, o Ministério da Saúde repassou ao Distrito Federal R$ 1 milhão para implantação dos novos serviços de saúde. Além do DF, o programa já alcançou 29 cidades e 17 estados: Alagoas, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Acre, Santa Catarina, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Piauí, Paraná, Ceará, São Paulo, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pará e Goiás.

O CAPS ad atenderá moradores de Taguatinga, Samambaia, Águas Claras, Vicente Pires, Ceilândia, Brazlândia, Gama, Santa Maria e Recanto das Emas. O acolhimento funcionará 24 horas, diariamente.

Claudete Nascimento