Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
8/11/13 às 11h18 - Atualizado em 30/10/18 às 15h09

Saúde fornece suplementação de vitamina A para crianças

COMPARTILHAR

Programa Nacional para crianças de seis a 59 meses de vida

De março a julho deste ano, a Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES/DF) capacitou as equipes de saúde da Atenção Primária para implementar o Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A (PNSVA) do Ministério da Saúde. Até   outubro, foram utilizadas 62.652 cápsulas de suplementos de vitamina A para crianças de seis a 59 meses.

“Com o empenho dos profissionais de saúde da Atenção Primária e dos gestores locais, além da adesão por parte da comunidade, a cobertura do PNSVA vem aumentando de forma satisfatória ao longo do ano, com destaque para os momentos das Campanhas de Vacinação”, afirma o gerente de Nutrição da SES/DF, Fábio Vinicius.

O PNSVA foi instituído pela Portaria nº 729, de 13 de maio de 2005, do Ministério da Saúde e o objetivo é reduzir e controlar a deficiência nutricional de vitamina A em crianças de seis a 59 meses de idade e puérperas no pós-parto imediato (antes da alta hospitalar). A implantação no DF está destinada ao público infantil e teve início em março de 2013, nas Unidades Básicas de Saúde (UBS).

O Ministério da Saúde distribui as cápsulas de vitamina A ao DF. A administração dos suplementos é feita nos centros de saúde em articulação com diversas áreas da SES/DF como Subsecretaria de Atenção Primária à Saúde (SAPS), Subsecretaria de Atenção à Saúde (SAS) e Subsecretaria de Vigilância em Saúde (SVS). “Em particular, o Programa envolve a atuação dos enfermeiros, técnicos de enfermagem, pediatras e especialistas em saúde, como farmacêuticos e nutricionistas”, complementa Fábio.

Esquema para administração de vitamina A em Crianças:
Passo 1: Triagem
A partir do 6º até o 59º mês de idade, as crianças devem receber doses de vitamina A nos serviços de saúde. Logo, é preciso verificar na Caderneta de Saúde da Criança a data da última aplicação do suplemento de vitamina A.

Passo 2: Dosagem
A suplementação de vitamina A deve seguir o calendário de administração abaixo recomendado, para que se tenham bons resultados:

IDADE

DOSE

FREQUÊNCIA

Crianças: 6 – 11 meses

100.000 UI

Uma dose, uma única vez

Crianças: 12 – 59 meses

200.000 UI

Uma dose, uma vez a cada 6 meses

Segundo o enfermeiro Ricardo Aguiar, do Núcleo de Saúde da Criança da SES/DF, é importante que a mãe ou responsável pela criança retorne à Unidade Básica de Saúde (UBS) sempre que for marcado o retorno da administração de vitamina A, a cada seis meses após a última dose.

“Além da administração da vitamina A nas UBS, a população também pode receber orientações sobre alimentação adequada e saudável, que contribui para a prevenção da hipovitaminose A e outras carências nutricionais, bem como auxilia na melhoria da qualidade de vida”, acrescenta Ricardo.

Evidências sobre o impacto da suplementação com vitamina A em crianças de seis a 59 meses de idade apontam uma redução do risco global de morte em 24%, de mortalidade por diarreia em 28% e mortalidade por todas as causas, em crianças HIV positivo, em 45%. Com isto, a OMS recomenda a administração de suplementos de vitamina A para prevenir a carência, a xeroftalmia (olho seco) e a cegueira de origem nutricional em crianças de seis a 59 meses.

Segundo a OMS a suplementação profilática de vitamina A deve fazer parte de um conjunto de estratégias para melhoria da ingestão desse nutriente, portanto associado à diversificação da dieta alimentar. Recomenda-se não suplementar criança que faça o uso diário de polivitamínico com vitamina A ou qualquer outro suplemento isolado de vitamina A.

A vitamina A é um micronutriente encontrado em fontes de origem animal (retinol) e vegetal (provitamina A). Dentre os alimentos de origem animal, destacam-se o leite humano, fígado, gema de ovo e leite de vaca. Os vegetais folhosos verde-escuros (como espinafre, couve, beldroega, bertalha e mostarda), vegetais amarelos (como abóbora e cenoura), além de frutas amarelas e alaranjadas (como manga, caju, goiaba, mamão e caqui) possuem carotenóides que são convertidos em vitamina A pelo organismo. Óleos e frutas oleaginosas (buriti, pupunha, dendê e pequi) também são ricos em provitamina A.

Vários desses alimentos são próprios da cultura alimentar da Região Centro-Oeste, por isso, é importante resgatar esses hábitos e procurar consumir com frequência os alimentos ricos em vitamina A.

Por Patrícia Kavamoto, da Agência Saúde DF
Atendimento à Imprensa
(61)3348-2547 / 2539 e 9862-9226