Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
27/07/16 às 16h26 - Atualizado em 30/10/18 às 15h15

Cuidados paliativos foi primeiro tema do Fórum do Idoso

COMPARTILHAR

Encontros ocorrem até dezembro com diversos temas

BRASÍLIA (27/7/16) – Evitar o sofrimento dos idosos que apresentam quadro de demência grave e estão no final da vida foi o foco do Seminário Cuidados Paliativos na Demência, apresentado nesta quarta-feira (27), no auditório do Hemocentro. O evento, que dá início ao Ciclo de Fórum Saúde do Idoso que ocorre até dezembro, contou com a presença do secretário de Saúde, Humberto Fonseca.

“Sou um profissional de cuidados paliativos. Sempre foi parte da nossa luta expandir os cuidados paliativos para outras áreas, não apenas na oncologia. Esse serviço é importante tanto para os pacientes e familiares que estão diante de uma doença que ameaça à vida, quanto para os profissionais de saúde”, disse Fonseca.

A palestrante foi a geriatra Alexandra Barreto, uma das profissionais responsáveis por implantar os cuidados paliativos no Hospital de Apoio de Brasília para o público idoso. Na unidade, onde foram criados sete leitos para o serviço, mais de 25 pacientes já foram acolhidos e os resultados são positivos.
“Nossa experiência tem sido significativa e valiosa. São pacientes que estavam, muitas vezes, em Unidades de Terapia Intensiva e foram para lá, mudando paradigmas. Devemos entender que a vida tem um ciclo e um fim, que merece acontecer da maneira mais tranquila e sem procedimentos que causem o sofrimento da pessoa e dos familiares”, disse a profissional.

Alexandra Barreto explicou que os cuidados paliativos na geriatria envolvem o cuidado com o paciente demente, que tem um quadro evolutivo, irreversível e fatal, já que a doença não tem cura.

“Há procedimentos que podem ser evitados, já que não vão fazer com que a pessoa cure a doença. No lugar de sondas de alimentação, podemos optar pela alimentação de conforto, em que o paciente pode comer a quantidade que deseja em pequenas porções ao longo do dia, com a ajuda de alguém”, explicou.

Segundo ela, também é necessário buscar o alívio da dor e dos sintomas e o conforto físico, emocional e psicológico. Também é necessário cuidar dos familiares, que precisam aceitar o fim da vida.

Participaram do evento profissionais de saúde e estudantes. O encontro foi organizado pela Saúde do Idoso e pela Coordenação da Geriatria, da Secretaria de Saúde do Distrito Federal. 

Confira abaixo a programação:

27/7 – Cuidados paliativos geriátricos
3/9 – Medicações na pessoa Idosa
14/9 – Multimorbidades
5/10 – Demências
9/11 – Envelhecimento e suas repercussões
7/12 – Cidadania e Direitos da Pessoa Idosa

Veja as fotos aqui