Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
21/11/12 às 16h36 - Atualizado em 30/10/18 às 14h57

Delegação do Haiti visita Samu/DF e UPA do Núcleo Bandeirante

COMPARTILHAR


Fotos: Renato Araújo

Uma delegação do Haiti esteve na manhã desta quarta-feira, 21, na base de atendimento do Samu-DF em Taguatinga Norte e na Unidade de Pronto Atendimento – UPA – do Núcleo Bandeirante. A visita faz parte da programação da equipe que desde a última segunda-feira, 19, se encontra em Brasília conhecendo a experiência desenvolvida pelo serviço no atendimento às urgências e emergências na capital federal.

O grupo, formado por três enfermeiras e um médico psiquiatra, é responsável pela implantação de um serviço semelhante ao Samu no país centro-americano, com quem o Brasil mantem cooperação técnica em várias áreas, inclusive na saúde. O Samu-DF foi indicado pelo Ministério da Saúde como referência. “Queremos aproveitar a experiência brasileira para montar o nosso serviço”, destaca o chefe da delegação haitiana, o médico ortopedista Philippe Desmangles.

Além da estrutura física e os veículos do Samu-DF, que incluem ambulâncias de suporte básico e avançado, motocicletas e bicicletas, a delegação conheceu a parte de gestão e funcionamento do serviço, a prática de atendimento de rua (pré-hospitalar) e intra-hospitalar.

Em três dias, o grupo conheceu as áreas de atuação do Samu-DF e participou de algumas atividades. O Samu-DF é divido em sete núcleos: Taguatinga, Ceilândia, Brasília, Sobradinho, Gama, Samambaia e Guará. Para atender a sociedade são disponibilizados dois núcleos de aeromédicos (CBMDF e PRF), os centros especializados no Hospital de Base, Hospital Regional do Guará e Hospital Regional de Ceilândia. Os serviços de motolâncias e bikelâncias também auxiliam no atendimento pré-hospitalar prestado pelo Samu-DF.

Na UPA do Núcleo Bandeirante, as enfermeiras Josefh Viergina, Gauthiu Johanne e Antoine Neydie, assim como o médico Harrisson Ernest, ouviram explicações sobre o funcionamento da unidade, incluindo os procedimentos adotados diante da chegada de um paciente grave, transportado pelo Samu, ou em relação aos pacientes menos graves, que procuram a unidade por conta própria.

A delegacão também ouviu explicações sobre a classificação de risco, parte integrante do projeto de Humanização da Secretaria de Saúde, adotada com o objetivo de dar prioridade aos pacientes que apresentam problemas mais urgentes e encaminhar os casos crônicos (que não são urgentes) para o atendimento primário que é oferecido pelos centros de saúde ou pela Estratégia Saúde da Família.   

A visita dos haitianos foi acompanhada por representantes do Ministério da Saúde, pelo diretor de Atenção à Saúde da Coordenação Geral  do Núcleo Bandeirante, Candangolândia, Riacho Fundo e Park Way, Pedro Zancanaro, pela chefe de enfermagem da UPA, Maura Lúcia dos Anjos e pela diretora administrativa, Ana Paula Toscano. A equipe da UPA tirou dúvidas e repassou as informações relativas a todos os setores da unidade, como as salas vermelha e amarela, a sala de acolhimento do adulto e da criança, laboratório, RX, Farmácia, sala de medicação e de coleta de exames, brinquedoteca, recepção e consultórios.

Além da UPA  durante três dias a delegação visitou, ainda, os centros de Trauma e Neurocardiovascular do Hospital de Base, à Central de Regulação do Samu no SIA e ao novo Centro de Educação em Urgências, inaugurado na última terça-feira, 20, no pátio de apoio da SES, também no SIA.

Celi Gomes/Arielce Haine