Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
6/12/12 às 17h53 - Atualizado em 30/10/18 às 14h57

Caps álcool e drogas serão reformados e ampliados

COMPARTILHAR

DF adere ao programa federal de combate ao uso de drogas

O Governo do Distrito Federal vai assinar termo de adesão ao Programa Crack, É Possível Vencer, nesta sexta-feira, 7, às 14h30, no Palácio do Buriti. O programa do governo federal visa fortalecer e ampliar ações de combate ao uso de drogas. A adesão ao pacto vai garantir ao DF mais recursos financeiros para investimentos em ações preventivas, capacitação e na ampliação da rede de assistência ao dependente químico.

Segundo o diretor de Saúde Mental da Secretaria de Saúde, Augusto Cesar Faria, os recursos vão fortalecer o Plano de Enfrentamento ao Crack e outras Drogas, lançado no ano passado pelo governador Agnelo Queiroz. A ampliação da rede de assistência está garantida com a inauguração em breve de três novos Centros de Atenção Psicossocial – Álcool e Drogas (CAPs-ad) e reformas de outros dois. Também serão implantadas cinco novas unidades de acolhimento.

Os novos CAPs, que estão em obra, serão instalados na Asa Norte, Asa Sul, Taguatinga, Ceilândia e Samambaia. As unidades de acolhimento também estão sendo construídas nessas mesmas localidades. Existem atualmente no DF, 14 CAPs, sendo sete especializados em álcool e drogas – seis para atendimento a adultos e um para crianças e adolescentes.

Unidades de Acolhimento As unidades de acolhimento prestarão assistência para pessoas com necessidades decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas. O objetivo é garantir o acolhimento voluntário e ofertar cuidados contínuos para pessoas em situação de vulnerabilidade social e familiar e que demandem acompanhamento terapêutico e proteção. “A unidade destina-se a pessoas que tem necessidade de sair do circuito das drogas”, ressalta o diretor de Saúde Mental.

As unidades de acolhimento proporcionam aos dependentes de drogas a reconstrução de seus projetos de vida num ambiente residencial, trabalhando em parceria com outros serviços de assistência em saúde mental.  Para desenvolver esse trabalho integral, cada unidade deve estar vinculada a um Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas III (que funcionam 24 horas) mais próximo.

Celi Gomes