Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
7/11/17 às 15h38 - Atualizado em 30/10/18 às 15h18

DF inicia Conferência de Vigilância em Saúde

COMPARTILHAR

Evento de dois dias serve de etapa preparatória para a conferência nacional

BRASÍLIA (7/11/17) – Gestores, trabalhadores e usuários da rede pública de saúde deram início, nesta terça-feira (7), aos trabalhos da 1ª Conferência Distrital de Vigilância em Saúde. O evento, que termina nesta quarta-feira (8), é destinado à formulação de 12 propostas de políticas públicas para esta área, que serão levadas à Conferência Nacional de Vigilância em Saúde, a ser realizada nos dias 28 de novembro e 1º de dezembro.

“Essa conferência simboliza o ápice da gestão participativa dentro do SUS. Representa a democracia e a forma de condução das políticas públicas com a participação de todos os segmentos, de forma equilibrada. É um momento em que os usuários e trabalhadores não falam para o gestor, mas falam com o gestor, para, no mesmo nível, tomar as decisões”, destacou o secretário adjunto de Saúde, Daniel Seabra, representando o secretário de Saúde e presidente da conferência, Humberto Fonseca.

Realizado pela primeira vez a nível local e nacional, o evento tem como eixo central a “Política Nacional de Vigilância em Saúde e o fortalecimento do SUS como direito à Proteção e Promoção da Saúde do Povo Brasileiro”.

Para as discussões e formulações de propostas, foram estabelecidos quatro subeixos: O lugar da vigilância em saúde no SUS; Responsabilidades do Estado e dos governos com a vigilância em saúde; Saberes, práticas, processos de trabalho e tecnologias na vigilância em saúde e Vigilância em saúde participativa.

Primeira mulher a presidir o Conselho de Saúde, Lourdes Cabral Piantino, eleita no dia 24 de outubro, tem como o grande desafio do início de sua gestão a coordenação da conferência. Ela é a primeira usuária da rede pública a chegar ao cargo mais alto do conselho. Antes, todos os presidentes eram membros da gestão da pasta. No discurso, ela fez questão de ressaltar a importância da população na proposição das políticas públicas.

Lourdes Cabral Piantino, presidente do Conselho de Saúde

“Estamos aqui hoje por causa dos usuários e porque nos preocupamos cada dia mais com a saúde da população. Quando falamos em vigilância à saúde estamos falando na possibilidade de construir um país saudável. Esse é o nosso momento de discutir a melhor forma de trazer saúde para a população”.

Além das propostas, a conferência elegerá 18 delegados usuários, nove delegados gestores e nove delegados trabalhadores, que atuarão na conferência nacional. O presidente do Conselho Nacional de Saúde, Ronald dos Santos, acompanha os trabalhos da etapa local.

TRAJETÓRIA – Antes da conferência distrital, a Secretaria de Saúde, em parceria com os Conselhos Regionais de Saúde, realizou etapas nas regiões de saúde do Distrito Federal. Na ocasião, foram eleitos delegados, que possuem direito a voto durante a formulação das políticas públicas que serão levadas pela capital federal à conferência nacional.

De acordo com a secretária geral da conferência e chefe da Assessoria de Relações Institucionais, Danielle Cavalcante, o momento é de fortalecimento da vigilância em saúde. “As plenárias que ocorreram nas regiões de saúde trazem os delegados e a participação da população, dos trabalhadores e dos gestores na construção do que a gente acha que é alicerce da atenção à saúde, que é a vigilância em saúde. A vigilância precisa ser considerada não como um tema específico, mas como alicerce do Sistema Único de Saúde”, finalizou a gestora.

Veja mais fotos