Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
11/05/15 às 11h05 - Atualizado em 30/10/18 às 15h12

Mais de 151 mil foram imunizados no Dia “D” de vacinação contra gripe

COMPARTILHAR

 Meta é alcançar pelo menos 80% do público-alvo

BRASÍLIA (9/5/15) – No Distrito Federal, o Dia D de mobilização nacional contra a gripe, neste sábado, chegou a 24,8% do total do público-alvo a ser imunizado. De uma população de 608.882 pessoas, 151.215 compareceram a um dos 153 postos de saúde da rede pública, que ficaram abertos das 8 às 17 horas. O número alcançado em um único dia foi considerado satisfatório pela Secretaria de Saúde, em comparação aos 8,4% registrados em cinco dias — de 4 de maio a ontem (8). A meta da secretaria, até o fim da campanha em 22 de maio, é vacinar pelo menos 80% desse público.

“A gripe pode causar grandes complicações, inclusive levar ao óbito”, alertou o subsecretário de Vigilância à Saúde, José Carlos Valença. Por ter idade que integra o público-alvo e ser um profissional de saúde, ele tomou a vacina no Espaço do Idoso, na estação do metrô da 112 Sul, local onde foi aberto o Dia D. Valença observou que as pessoas acima de 60 anos têm aderido cada vez mais à campanha: “Os idosos estão se movimentando muito dentro de um processo cultural importante de que prevenir é melhor do que remediar”. Esse grupo ficou com o maior porcentual de vacinados — 31,9% (64.923 pessoas) — do público-alvo de 203.639 idosos. Em segundo lugar, apareceram as crianças entre 6 meses e até 5 anos incompletos: 21,2% (38.931) de 183.729. O segundo maior porcentual de vacinações no Dia D foi registrado entre mulheres que deram à luz há bem pouco tempo (puérperas): 25,9% (1.419) do público-alvo desse grupo — 5.487.

Podem ser imunizados indivíduos que têm maior vulnerabilidade e complicações causadas pela gripe, ou seja, aqueles com mais de 60 anos, gestantes e mulheres no período pós-parto, profissionais de saúde, povos indígenas, crianças a partir dos 6 meses até 5 anos incompletos, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e presidiários. Estes serão vacinados nas unidades do sistema prisional. Já aqueles que têm alergia severa a ovo ou manifestaram reações alérgicas à vacina não podem tomá-la.

Cuidados e mitos
A chefe do Núcleo de Imunização da Secretaria de Saúde, Eldóxia Dantas, lembrou que os doentes crônicos precisam levar prescrição médica. “Eles devem procurar o especialista que vai indicar a vacina”, disse ela, para explicar a orientação específica.

Eldóxia esclareceu também que, ao contrário do que muitos pensam, a dose não transmite a gripe: “Isso é um mito, porque a vacina é produzida com vírus inativado, ou seja, a dose não tem capacidade de desenvolver a doença”. Segundo a chefe do Núcleo de Imunização, o que acontece muitas vezes é que o indivíduo já está em um processo infeccioso ou com algum tipo de vírus e, ao ser vacinado, coincidentemente, aparecem sintomas. “Por isso, recomendamos não tomar a vacina quando a pessoa está com quadro febril agudo”, exemplificou.

Hábitos de higiene, como lavar as mãos ao tossir, também são formas de prevenir a transmissão da doença. “Isso deve ser lembrado inclusive pela população que não faz parte do público-alvo”, completou Eldóxia.

Atendimento em domicílio
Quem não tem condições físicas para se deslocar a um posto de saúde pode entrar em contato com o Disque Saúde do governo de Brasília, pelo número 160, para agendar a vacinação em domicílio. Asilos e instituições para idosos receberão a campanha, de acordo com calendário definido pela Secretaria de Saúde. Nas regionais onde não há posto de vacinação, haverá atendimento agendado.

Confira aqui a relação de postos de vacinação