Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
5/05/15 às 12h53 - Atualizado em 30/10/18 às 15h12

Dia Mundial de Higienização das Mãos

COMPARTILHAR

Medidas de controle no desenvolvimento de infecções

BRASÍLIA (5/5/15) – Muitas pessoas não sabem, mas as mãos são o principal veículo de transmissão de microrganismos de um indivíduo para outro. Portanto, a Secretaria de Saúde faz um alerta aos profissionais de saúde neste Dia Mundial de Higienização das mãos. O simples ato de higienizar as mãos de forma correta torna-se a principal medida de controle no desenvolvimento de infecções, pois reduz significativamente a transmissão de doenças.

Transformar a higienização das mãos em um hábito freqüente pode salvar vidas, reduzindo as mortes por diarréia em 50% e as mortes por infecções respiratórias agudas em 25%.

“A higienização das mãos é uma das metas internacionais para promover a Segurança do Paciente e é considerada a medida principal e mais simples para a redução das infecções relacionadas à assistência à saúde. Nesse contexto, os profissionais de saúde são os principais agentes na aplicação eficaz dessa prática que salva vidas. Por outro lado, esses profissionais podem ser um veículo transmissor de microrganismos de um paciente para o outro, ou para superfícies ambientais. Por isso, a adesão às recomendações de higienização das mãos nos serviços de saúde precisa aumentar”, informa a chefe do Núcleo de Investigação e Prevenção de Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde (Nuiras), Rafaella Bizzo Pompeu.

A higienização das mãos pode ser feita com água corrente, sabonete líquido e papel toalha para secar a pele. As bactérias são removidas por ação mecânica, sendo necessário esfregar as mãos. A espuma presente no sabão também ajuda a remover as sujeiras e gorduras da pele.

A utilização de preparação alcoólica para as mãos (álcool gel ou solução) pode substituir a higienização com água e sabão quando as mãos não estiverem visivelmente sujas, além de ser uma opção de higienização mais rápida e eficiente na eliminação de microrganismos. A higienização das mãos com preparações alcoólicas levou a uma maior adesão à higienização das mãos entre profissionais de saúde em todo o mundo.

Devem higienizar as mãos todos os profissionais que trabalham em serviços de saúde, que mantém contato direto ou indireto com os pacientes, que atuam na manipulação de medicamentos, alimentos e material estéril ou contaminado. Recomenda-se que familiares, acompanhantes e visitantes também higienizem as mãos antes e após contato com o paciente nos serviços de saúde.

A higienização das mãos deve ser executada principalmente antes de manipular ou consumir alimentos; antes e depois de se entrar em contato com pacientes; depois de ir ao banheiro, depois de espirrar, tossir ou assoar o nariz; após manipular objetos potencialmente sujos ou contaminados; após entrar em contato com animais e sempre que as mãos estiverem visivelmente sujas.

“Para prevenir a transmissão de microrganismos pelas mãos, três elementos são essenciais: realizar a higiene das mãos nos momentos indicados, aplicar a técnica correta pelo tempo preconizado, e utilizar agente tópico com eficácia antimicrobiana. Para que o profissional realize a prática sempre nos momentos certos, deve seguir as orientações dos 5 Momentos para a Higienização das Mãos. É importante reforçar ainda que o uso de luvas não substitui a higienização das mãos”, destaca Rafaella.

A DATA – O dia 5 de maio foi definido como Dia Mundial de Higienização das mãos pela Organização Mundial de Saúde (OMS) por fazer uma associação do quinto dia e do quinto mês aos cinco momentos da Higiene das Mãos. A campanha “Salve Vidas: Higienize as Mãos”, tem por objetivo que os serviços de saúde possam desenvolver, localmente, ações que reforcem a higiene das mãos como medida primordial para a prevenção e controle das infecções relacionadas à assistência à saúde (IRAS), promovendo a segurança de pacientes, profissionais e usuários dos serviços de saúde.

Passo a passo – Higienização das mãos

Leia também...