Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
20/11/20 às 14h50 - Atualizado em 20/11/20 às 14h52

Equipamentos do hospital de campanha desativado são distribuídos na rede

COMPARTILHAR

Itens serão utilizados para o desbloqueio de leitos, substituição de equipamentos das UTIs e criação de UCIs

 

JURANA LOPES

 

Camas, monitores, respiradores, ventiladores pulmonares e outros equipamentos foram distribuídos pela rede – Foto: Breno Esaki/Agência Saúde DF

 

Os equipamentos do Hospital de Campanha do Mané Garrincha, desativado em 15 de outubro, foram distribuídos para toda a rede pública de saúde. Como previsto no contrato, após o fechamento da unidade, todos os materiais foram incorporados ao patrimônio da Secretaria de Saúde.

 

“Essa distribuição vai proporcionar a abertura de vagas que estavam bloqueadas e equipar melhor os leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da rede. Além disso, vai abrir novas vagas nos hospitais regionais do Guará e de Taguatinga e modernizar alguns serviços como a de Pneumologia do Hospital Regional da Asa norte, que adquiriu um broncoscópico que era do hospital de campanha”, explica o secretário adjunto de Assistência, Petrus Sanchez.

 

Os critérios de divisão dos quantitativos foram decididos, com o objetivo de desbloqueio de leitos, criação de leitos de cuidados intermediários (UCIs) e substituição de equipamentos das UTIs da rede.

 

Hospital de Campanha do Mané Garrincha funcionou até o dia 15 de outubro – Foto: Breno Esaki/Agência Saúde DF

 

Dentre os equipamentos estão: camas hospitalares, bombas de infusão, monitores multiparamétricos, ventiladores pulmonares, respiradores, gasômetros, raios-X portáteis, maca para transporte, carro de parada, geladeira para conservação de sangue, biombos, cadeiras de roda, entre outros itens.

 

Todas as superintendências e Unidades de Referência Distritais foram contempladas. Foram destinados equipamentos também para o Hospital de Campanha de Ceilândia, que ficará equipado para retaguarda de leitos de Covid-19, caso ocorra uma segunda onda da doença.

 

As unidades hospitalares beneficiadas com os equipamentos são os hospitais regionais de Taguatinga, Samambaia, Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib), Hospital de Apoio de Brasília (HAB) e Hospital São Vicente de Paulo (HSVP). Além de todas as sete superintendências regionais, que decidirão onde vão instalar os equipamentos novos.