Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
7/12/17 às 17h20 - Atualizado em 30/10/18 às 15h18

Equipe de cuidados paliativos do Base promove café da manhã natalino

COMPARTILHAR

Evento reuniu profissionais de saúde, pacientes e familiares

BRASÍLIA (7/12/17) – “Estava quase entrando em depressão, mas recebi um apoio imensurável para superar a situação de ver meu irmão com câncer”. O depoimento é de Zilene de Sousa, 57 anos, que recebe assistência psicológica da Unidade de Cuidados Paliativos do Hospital de Base, que promoveu na manhã desta quinta-feira (7) um café da manhã natalino entre os profissionais do setor.

Os cuidados paliativos são destinados a dar suporte para a família e atenção especial para quem possui doenças que ameaçam a vida, caso do irmão de Zilene, Carlos Alberto Rodrigues. O paciente recebeu o diagnóstico de câncer de estômago em abril de 2017 e, devido ao quadro avançado, faleceu em abril deste ano aos 51 anos.

Zilene, que é professora, continua sendo assistida pela equipe, com a qual criou grande afinidade. “É muito bom o apoio que recebo, um suporte importante para resgatar a minha confiança, autoestima e superar as dificuldades trazidas pela morte do meu irmão”, finalizou Zilene.

“Nesta época de Natal, que é de esperança, temos que nutrir nossa fé e os cuidados paliativos focam justamente na luz da vida, que não significa viver muito, mas viver bem”, disse o médico de cuidados paliativos Carlos Eduardo Araújo. O profissional reforça que a equipe tem como objetivo melhorar a qualidade de vida dos pacientes e familiares.

A assistente social Luana Viana entende que os cuidados paliativos contribuem para ressignificar as práticas de saúde e o processo humanitário nos profissionais. “Nós entendemos que devemos cuidar das pessoas e também dos cuidadores, que muitas vezes focam apenas no sofrimento do doente.

Verônica Ferrer, terapeuta ocupacional, esclarece que os cuidados paliativos abrangem as dimensões espiritual, físico, mental e social. “Oferecemos o controle da dor total e também assistência nas áreas de psicologia, serviço social, terapia ocupacional, médica e enfermagem”, enumerou.

CUIDADOS PALIATIVOS – O ambulatório da unidade oferece consultas individuais e em grupo. São atendidos, por mês, aproximadamente 200 pacientes com doenças graves que ameaçam a vida, além de aproximadamente 600 familiares. No ambulatório funciona, também, o grupo de cuidadores e acolhimento. No local ainda são realizados medicação e curativo.

Equipe da Unidade de Cuidados Paliativos

A equipe também realiza a interconsulta. A ideia é oferecer conforto para os pacientes, bem como viabilizar a desinternação hospitalar. A última linha de trabalho é a educação permanente, responsável por realizar treinamentos e pesquisas.