Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
12/08/19 às 13h14 - Atualizado em 12/08/19 às 17h30

Farmácia de Alto Custo de Ceilândia passará por reforma

COMPARTILHAR

Atendimento aos usuários será feito normalmente

 

A estrutura da Farmácia de Alto Custo de Ceilândia, localizada no Bloco de A, de Dispensação, foi transferida para o Bloco C, de Cadastro. O espaço será reformado a partir desta semana, mas o atendimento aos pacientes continuará normalmente no Bloco de Cadastro do Componente Especializado, na EQNM 18/20, blocos A e C, na Praça do Cidadão de Ceilândia.

 

Esta Farmácia de Alto Custo atende cerca de 2,5 mil pacientes por semana. E, durante as obras do bloco A (Dispensação), haverá servidores orientando todos aqueles que buscarem a unidade para retirar medicamentos.

 

“O atendimento continuará normalmente. A diferença é que todos os serviços serão executados no bloco C, o de Cadastro”, reforça a gerente do Componente Especializado, Priscila Torres.

 

A transferência do mobiliário para o bloco C ocorreu no final de semana, com apoio dos servidores da unidade. E o remanejamento do serviço começou na manhã desta segunda-feira (12). As obras devem começar ainda nesta semana.

 

MELHORIAS – O serviço passará por uma reformulação completa. A reforma do bloco de Dispensação deverá estar concluída em até 60 dias. Depois, será a vez do bloco de Cadastro.

 

O objetivo, segundo Priscila Torres, é melhorar o fluxo de atendimento e reorganizar o espaço para contemplar a demanda crescente de novos usuários. “Vamos aumentar o número de guichês para agilizar os atendimentos. E, na medida do possível, entregaremos aos pacientes a medicação para dois meses de tratamento, até que a reforma esteja concluída, com o intuito de reduzir o fluxo de pessoas no local”, avalia Priscila.

 

A responsável pelo Componente Especializado revela que está em processo de contratação um novo sistema informatizado “Isso dará mais celeridade ao atendimento e permitirá o agendamento dos pacientes por dia e horário para a retirada do medicamento”.

 

E se desculpa: “Solicitamos a compreensão dos usuários para este período da reforma. A mudança vai melhorar o ambiente para usuários e servidores. Nosso objetivo é ofertar um serviço humanizado, com qualidade na assistência  farmacêutica e capaz de atender os anseios da população”, assegura Priscila Torres.

 

Da Agência Saúde

Fotos: Mariana Raphael/Saúde-DF