Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
10/05/21 às 14h23 - Atualizado em 10/05/21 às 16h31

Flores e videochamadas para as mamães internadas na enfermaria covid do HRPL

COMPARTILHAR

Em isolamento, pacientes puderam matar a saudade da família por vídeo e receberam flores para alegrar o dia

 

LÍVIA DAVANZO, DA AGÊNCIA SAÚDE-DF

 

Flores, presentes e chamadas por vídeo. Assim foi o Dia das Mães para pacientes internados na ala covid do Hospital Regional de Planaltina (HRPL). A ação, organizada pela Gerência de Assistência Multidisciplinar e Apoio Diagnóstico (Gamad) do hospital, foi a forma encontrada para tentar amenizar a dor da distância dos familiares em uma data tão significativa e na qual muitos estariam reunidos com a família.

 

Flores e kit de higiene pessoal para alegrar o dia das mamães internadas no HRPL – Foto: Divulgação/SES-DF

Para levar um pouco de alegria e acolhimento aos pacientes, a psicóloga do HRPL, Ana Paula Cardoso Simplício, disse que decidiu levar rosas como uma demonstração de carinho e para dar um valor afetivo pela data. Junto com a enfermeira Talita Queiroz, fizeram a entrega das flores e do presente, um kit higiene preparado pelo serviço social com itens de doação (shampoo, condicionador, sabonetes, escova dental e desodorante).

 

Além disso, fizeram chamada por vídeo para que os pacientes pudessem ver os familiares. “O intuito foi fortalecer o vínculo deles com a família, já que estão na área de isolamento e ficam muito tempo sem contato”, conta a psicóloga.

 

Ela explica que era feita uma conversa com o paciente para saber sobre a vontade ou não de participar da ligação. Primeiro era realizada a homenagem, a entrega da flor e do kit e, depois, a videochamada, que não tinha limite de tempo.

 

Segundo Ana Paula, essas iniciativas ajudam na recuperação do paciente, pois quando recebem o apoio da família percebem essa rede fortalecida, renovam o ânimo e fazem com que ele se recupere melhor. Para os familiares, o sentimento é de gratidão por receberem notícias e terem contato com o familiar hospitalizado.

 

Foto: Divulgação/SES-DF

“É bem emocionante o momento”, relata a psicóloga. “Você entra na casa de cada pessoa e, para o paciente, parece que ele está dentro da casa dele. É como se a gente deixasse ele dentro de casa, mas no hospital. A tecnologia facilita bastante”, destaca.

 

Ela diz que é gratificante poder levar esse momento aos pacientes e aos familiares, além de ser benéfico para a própria equipe de saúde. “O paciente fica feliz, agradece. Quando saio do plantão, saio com a sensação de missão cumprida”, comenta.

 

Planejamento da ação

 

A gerente de Assistência Multidisciplinar e Apoio Diagnóstico da Regional do HRPL, Maria do Socorro Nunes Aguiar, conta que a ideia de planejar algo diferente foi devido à data especial e ao impacto que a covid-19 causa nas pessoas. Inclusive, por esse motivo, ela ressalta que teve o cuidado de que toda a ação fosse realizada por uma profissional preparada para efetuar a abordagem e acolhimento psicológico prévio.