Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
28/04/15 às 20h59 - Atualizado em 30/10/18 às 15h12

Fórum levanta debate sobre prevenção de doenças transmissíveis

COMPARTILHAR

Discussão no Senado contou com a participação do secretário de Saúde, que destacou a necessidade do fortalecimento das políticas de combate

BRASÍLIA (28/4/15) – Uma discussão em torno do combate às doenças transmissíveis, como sarampo e dengue, que tiveram aumento em várias regiões do país, foi o foco do VII Fórum Nacional de Políticas de Saúde no Brasil, realizado no Senado Federal, nesta terça-feira (28). Durante o encontro, o secretário de Saúde, João Batista de Sousa, alertou que as doenças têm evoluído e é necessário intensificar as ações de prevenção.

“O aumento dos casos de doenças transmissíveis não é um fenômeno apenas do Distrito Federal, mas ocorre em todo o país. Nós vivemos um momento crítico da saúde e sabemos que doenças que não existiam estão surgindo. Com a tecnologia e outros fatores, temos a evolução de doenças como a tuberculose, por exemplo, que está ressurgindo com tratamentos que levam à redução da resistência do paciente”, avaliou o secretário de Saúde.

Segundo dados apresentados pelo diretor do Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde, Cláudio Maierovitch, o Brasil registrou, em 2014, 68 mil casos de tuberculose. Ela é a terceira causa de morte por doenças infecciosas.

O coordenador da Organização Pan-Americana da Saúde/ Organização Mundial da Saúde (Opas) concordou com o secretário. “Com o passar dos anos, diante do avanço das vacinas e antibióticos, temos novos desafios, já que há a resistência e mutação de vírus e bactérias. E o Brasil não escapa dessa realidade mundial”, disse.

O presidente da Frente Parlamentar de Saúde e Defesa do SUS, o deputado federal Osmar Terra ressaltou a crise que a Saúde apresenta em todo o país. “Essas dificuldades envolvem a questão do financiamento e temos que construir alternativa para isso e pensar novas políticas públicas. Temos que salvar o SUS. Estão faltando vacinas básicas no país para prevenir doenças graves”, disse.

MODELO- Durante o evento foram ministradas palestras, entre elas, a do técnico da Assessoria de Mobilização Institucional e Social para Prevenção à Dengue, da Secretaria de Saúde, Ailton Domício. Ele apresentou as ações exitosas de combate à dengue no DF.

O último informe epidemiológico apresentado pela Subsecretaria de Vigilância à Saúde do DF mostra que, de 1º de janeiro até 27 de abril deste ano o DF registrou 2.899 casos de dengue. No mesmo período do ano passado foram 4.318 casos. Uma redução de -32,86%. Em todo o país já foram registrados até agora 745, 9 mil casos da doença. Houve um aumento de 234% do ano passado para 2015.

“O Governo do DF elaborou um plano de ação integrado contando com a participação de militares do Corpo de Bombeiros e do Exercito, e da Defesa Civil, desde então estamos fazendo um combate de prevenção e eliminação dos focos de dengue mais eficaz. Mas temos que frisar que isso não suprime a participação da sociedade. É muito importante a prevenção feita pelo cidadão em sua casa para que assim possamos, de fato, manter a tendência de queda na transmissão”, destacou Ailton.

Segundo João Batista, outras doenças como sarampo, dengue e febre Chikungunya também são um desafio. “Neste fórum temos a oportunidade de pensar e refletir sobre tratamento e ações de prevenção dessas doenças, que registram surto, como no DF, que felizmente teve uma queda no número de casos de dengue, de 2014 para 2015”, contabilizou.

Também participaram do evento outras autoridades, entre elas, o diretor do Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde, Cláudio Maierovich, a senadora Ana Amélia; e o deputado federal Odorico Monteiro.