Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
26/04/16 às 13h05 - Atualizado em 30/10/18 às 15h14

Hipertensão atinge cerca de 22% da população do DF

COMPARTILHAR

Doença é silenciosa e pode levar à morte. Prevenção inclui mudança na alimentação e atividade física

BRASÍLIA (26/4/16) – O Hospital Regional de Taguatinga promove, nesta terça-feira (26), uma manhã de atividades de prevenção à hipertensão para os servidores da unidade. O evento ocorre em alusão ao Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão.

A doença, silenciosa, atinge cerca de 30% da população brasileira e é uma das maiores causas de morte por cardiopatias. No Distrito Federal, estima-se que cerca de 400 mil pessoas tenham a doença, segundo dados da pesquisa Vigitel, realizada pelo Ministério da Saúde. Segundo a pesquisa de risco global da hipertensão, em 2025 haverá 1,6 bilhão de pacientes no mundo.

Segundo a coordenadora da Liga de Hipertensão Arterial da Escola Superior de Ciência da Saúde (ESCS), Mouranilda Schleicher, é considerado hipertenso aquele que tem a pressão arterial igual ou superior a 14×9, medida em pelo menos três ocasiões diferentes. Qualquer pessoa pode aferir a pressão.

“Há fatores de risco para hipertensão que não podem ser mudados, que são a idade – quanto mais velho, maiores as chances- e o histórico familiar. Mas em todos os casos, há como prevenir, com mudanças de hábitos de vida, como prática de atividade física e alteração na alimentação”, observa Schleicher.

Ela completa que o excesso de peso, o sedentarismo, o tabagismo, o excesso de bebida alcoolica e o estresse acentuado são fatores que aumentam o risco de ter hipertensão. “O diabetes é outro fator. Estima-se que 50% das pessoas que tenham diabetes também terão hipertensão”, destaca.

Segundo a médica, os órgãos que mais sofrem com a hipertensão são o coração, os rins, o cérebro e o fundo do olho. “Cerca de 80% dos derrames isquêmicos são causados por hipertensão. Eles não são os que mais matam, mas são os que mais deixam sequelas”, frisa.

Todos os centros de saúde do DF oferecem tratamento e acompanhamento para a doença, inclusive, com grupos de apoio e informações. O tratamento da hipertensão é mudança no estilo de vida e medicação. “A primeira coisa é reduzir a quantidade de sódio na alimentação. O recomendado de sal é 5g e já está provado que o brasileiro consome cerca de 12g por dia”, diz Mouranilda Schleicher.

PROGRAMAÇÃO – Outras regiões de saúde também vão celebrar a data com atividades, porém, em outras datas. Na próxima quinta-feira (28), a Equipe de Saúde da Família 11/528 dará orientações de prevenção no combate à hipertensão, aferição de pressão arterial e café da manhã. A ação será entre 14h e 17h, na Drogaria Breves da Quadra 217 A. 

O Centro de Saúde 7, na Asa Sul, também terá ação, na próxima sexta-feira (29). O tema hipertensão será abordado durante as atividades do grupo e práticas integrativas. E no sábado (30), Dia Mundial da Saúde, o Parque Ecológico Jequitibas receberá uma programação extensa e entre as temáticas abordadas estará a hipertensão.