Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
18/01/13 às 11h49 - Atualizado em 30/10/18 às 14h57

HMIB recebe nota 10 pelo atendimento humanizado

COMPARTILHAR

Presença do pai durante todo o processo do parto é estimulada

Emanuel Souza Barros, 34 anos, eletricista, morador de Luziânia (GO), acompanhou, na manhã dessa quinta-feira (17), o nascimento de seu terceiro filho. Ele atesta que foi bem atendido desde o momento que chegou ao hospital, às 5h30, com sua esposa, Ruth Gomes, já em trabalho de parto. “O atendimento foi rápido, apenas 12 minutos para ela fazer o registro e ir para a sala. Fiquei ao lado dela o tempo todo. Por isso, não tem nenhuma palavra que expresse melhor meus sentimentos, me sinto honrado em ter participado desse momento.”

Ruth conta que também ficou satisfeita com o atendimento e que o marido fez questão que o parto fosse no HMIB. “Fiz o pré-natal em Luziânia, mas o meu marido pediu para que o parto fosse neste hospital. O atendimento foi ótimo, principalmente o da equipe de enfermagem que ficou ao meu lado me ensinado posições e massagens para ajudar no nascimento”.

Com grande fluxo de atendimento, 87 por dia nesse mês de janeiro, a equipe do hospital atua para entregar um trabalho humanizado de qualidade. A equipe estimula, sempre que possível, a presença do pai durante todo o processo do parto. Ao entender as necessidades específicas de cada casal, aplica técnicas de massagem, respiração e indica a melhor posição para o parto. Ruth, por exemplo, fez o parto de lado, posição em que um pé fica apoiado na enfermeira que gera mais conforto à gestante. “O pai estava muito emocionado e segurava a mão de sua mulher o tempo todo. Isso foi fundamental para transmitir segurança e calma para a gestante”, relata a enfermeira obstétrica, Gerusa Amaral de Medeiros.

O casal Emanuel e Ruth, agora com a filha Esther, é um exemplo da importância da presença paterna durante todos os momentos da gestação. “O atendimento humanizado fortalece o vínculo familiar incluindo o pai no processo do nascimento, traz alívio à dor sem medicalização com uma equipe que atenta às necessidades de cada paciente”, finaliza Gerusa.

Ana Luiza