Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
20/03/15 às 18h42 - Atualizado em 30/10/18 às 15h12

Hospital da Criança ganhará segundo bloco para internação

COMPARTILHAR

Investimento feito pelo GDF é de R$82 milhões, além dos U$$10,5 milhões aplicados pela OMF

BRASÍLIA (20/3/15) – A montagem da estrutura do segundo bloco do Hospital da Criança começará em breve. A Secretaria de Saúde reafirmou uma parceria selada há cerca de dois anos com Organização Mundial da Família (OMF) e se comprometeu a intensificar os trabalhos de preparação do terreno, para que a entidade internacional comece a erguer e aparelhar a segunda parte da unidade, que é referência em atendimento multidisciplinar pediátrico.

O investimento feito pelo GDF é de R$82 milhões, além dos U$$10,5 milhões aplicados pela OMF. Com isso, o hospital triplicará a área de construção de 7 mil metros quadrados para 21 mil metros quadrados. Serão dois pavimentos com 202 leitos, outros 20 de UTI e 18 para cuidados intermediários, além de centro cirúrgico. A estrutura permitirá a realização de procedimentos complexos e evitará a transferência das crianças quando necessitarem de internação.

A ideia é que o Hospital da Criança receba todas as especialidades pediátricas como nefrologia e oncologia que funcionam em outros hospitais, sobretudo, do Materno Infantil e Base, concentrando todos os serviços em um só local. Atualmente, a estrutura oferece apenas a internação “dia”, ou seja, com retorno imediato para casa, voltado para as crianças que necessitam de procedimentos como os ambulatoriais, de quimioterapia, hemodiálise e pequenas cirurgias.

“Hoje o Hospital tem um empecilho, que é criança ser atendida ambulatorialmente e não ter como fazer a internação quando acompanhada de prescrição médica. Vamos fazer o que é necessário ser feito”, enfatizou a presidente da WFO, Deisi Noeli Weber Kusztra, durante reunião com o secretário da pasta, João Batista Sousa.

Segundo ela, outros 11 hospitais no Brasil já foram beneficiados pela organização internacional, que atua também em outros países, como a África. “Todas as obras são planejadas com base em um plano com normas, rotinas, número de funcionários e quesitos financeiros”, destacou a presidente.

“Agora, que estamos bem acertados, mãos às obras para vencermos todos os obstáculos que impediam a construção desse importante bloco do hospital”, disse o secretário.

Para que a estrutura comece a ser montada, a SES precisa finalizar a preparação do terreno, o que inclui a terraplanagem, compactação, instalação da rede de água e esgoto, entre outros procedimentos. A OMF, responsável pelos projetos e montagem do hospital, já importou toda a estrutura e fará o aparelhamento e consultoria para o funcionamento e inauguração.

A Associação Brasileira de Assistência às Famílias de Crianças Portadoras de Câncer e Hemopatias (Abrace), parceira na construção da primeira parte do hospital, fará o suporte técnico e supervisão em cada fase de implantação do projeto. A previsão é que até o fim de 2015 o segundo bloco fique pronto e, até março de 2016, em funcionamento.

ATENDIMENTO – Inaugurado há aproximadamente em 2012, o Hospital já realizou mais de 1 milhão de atendimentos. A unidade possui uma equipe multiprofissionais composta por pediatras, neurologistas, nutricionistas, psicólogos, fisioterapeutas, oncologistas, enfermeiros, gastros, urologistas, fonoaudiólogos, dentistas e vários outros profissionais especializados.

“Há 30 anos, não contávamos com um tratamento desse nível, que é oferecido hoje. Um exemplo é a chance de cura que aumentou de 50% para 70% nos casos de crianças com leucemia”, comparou uma das fundadoras e diretora de assistência da Abrace, Maria Ângela Marine, ao comentar que a filha tinha leucemia.