Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
5/11/19 às 11h13 - Atualizado em 5/11/19 às 11h16

Hospital Regional do Gama tem novo laboratório de Patologia Clínica

COMPARTILHAR

Espaço foi revitalizado e oferece acesso à internet com Wi-fi social

 

A população que utiliza o Hospital Regional do Gama (HRG) dispõe de um novo Laboratório de Patologia Clínica, completamente revitalizado e ampliado. Além disso, os pacientes também têm acesso aos resultados dos exames pela internet, com o Wi-fi social instalado no local.

 

O contrato de manutenção predial de emergência permitiu que o espaço, utilizado para coleta de sangue para exames laboratoriais, recebesse intensos reparos ao longo de 45 dias. Houve troca de piso, pintura, reparos nas redes elétrica e hidráulica e ampliações para instalar uma nova sala de curva glicêmica, com cinco novas cadeiras para os pacientes, e aumentar a recepção, com direito a rampa de acesso para cadeirantes.

 

As bancadas antigas de madeira foram substituídas por novas de pedra e instalaram novos boxes para coleta de sangue. Todos os vasos sanitários e torneiras também foram trocados e um corredor inteiro foi aberto para melhorar o fluxo entre pacientes e profissionais de saúde.

 

ELOGIOS – Para os moradores do Gama que costumam utilizar o laboratório, as mudanças são perceptíveis. “Antes, era bem diferente. O local era desestruturado e o atendimento era péssimo. Agora, mudou tudo. Ficou muito melhor e mais bonito”, comentou o açougueiro Francisco das Chagas, 40 anos.

 

Para a técnica de enfermagem Eliane Bernardes, 51 anos, que foi até o laboratório fazer um exame de sangue, as mudanças no local ajudam tanto no trabalho dos servidores como contribuem para melhorar o atendimento à população. “É um novo espaço. Parece até hospital particular”, brincou.

 

Deixar a estrutura mais adequada para atender às demandas da população era o objetivo da manutenção predial, segundo o chefe do Núcleo de Patologia Clínica do HRG, Rivaldo Peixoto. “A ideia é garantir o bem-estar dos pacientes. Antes, isso aqui era como uma 25 de março (rua de comércio agitado em São Paulo), com pacientes passando em locais restritos para servidores, que mexiam com coletas de substâncias perigosas. Agora, ficou muito melhor, com a divisão de espaços e reparos, trazendo mais conforto e segurança para todos. Melhorou 1.000%”, observou Peixoto.

 

MANUTENÇÕES – Segundo a diretora administrativa do HRG, Verbena Melo, o serviço de manutenção segue no hospital. Somente no laboratório, cerca de R$ 68 mil foram investidos em intervenções, que continuaram em outros pontos com mais necessidade, como o Pronto-socorro e a Radiologia.

 

“Não se pode pensar em um reparo do Pronto-socorro sem mexer no laboratório e na Radiologia. São áreas de sobrecarga, para onde os pacientes são enviados para o atendimento completo. Como o laboratório estava muito sucateado, começamos por ele”, comentou.

 

Aproximadamente, R$ 800 mil foram utilizados em várias intervenções, entre elas, a troca de telhas em pontos críticos, como no Pronto-socorro, UTI e Centro Cirúrgico; impermeabilização de calhas; e limpeza de seis quilômetros de redes de esgoto do hospital.

 

Estão em andamento as revitalizações das duas enfermarias, da Radiologia e dos corredores centrais, com pinturas, manutenção dos banheiros e trocas de piso, do forro do teto e das partes hidráulica e elétrica.

 

Leandro Cipriano, da Agência Saúde
Fotos: Breno Esaki/Saúde-DF