Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
28/10/20 às 16h31 - Atualizado em 29/10/20 às 15h06

HRT aumenta em 56% as cirurgias gineco-oncológicas

COMPARTILHAR

Em nove meses de 2020, já foram feitas 280 cirurgias contra 180 feitas no mesmo período de 2019

 

AGÊNCIA SAÚDE DF

 

O Hospital Regional de Taguatinga (HRT) fez, entre janeiro e setembro deste ano, 280 cirurgias gineco-oncológicas. Foram cem procedimentos a mais que no mesmo período de 2019, o que representa um crescimento de 56% na produção de cirurgias da unidade.

 

Cirurgias oncológicas não deixaram de ser feitas durante à suspensão de cirurgias eletivas por conta da pandemia – Foto: Breno Esaki/Agência Saúde DF

Esse aumento no número de cirurgias mostra que o perfil de atendimento do hospital mudou para fortalecer os serviços essenciais, conforme explica Renato Siqueira, diretor do HRT. “A unidade está assumindo sua missão como hospital terciário, tendo como objetivo aumentar as cirurgias oncológicas em todas as áreas”, explicou.

 

Mesmo em um ano atípico por conta da pandemia da Covid-19, a Secretaria de Saúde conseguiu destinar mais salas de cirurgia para a onco-ginecologia do HRT, o que contribuiu para elevar o número de procedimentos feitos no hospital. Mesmo em tempos difíceis, foi possível fazer um trabalho eficaz e significante na vida das pessoas.

 

HRT aumentou a produção de cirurgias ginecológicas em 2020, mesmo com à pandemia – Foto: Breno Esaki/Agência Saúde DF

 

Novos leitos

 

O HRT em breve vai ganhar dez novos leitos com suporte de ventilação mecânica e um de isolamento na nova Unidade de Cuidados Intermediários (UCI). Quando a nova ala entrar em operação, será possível aumentar a produção de cirurgias.

 

Na UCI, 50% dos leitos serão destinados a pacientes pós-cirúrgicos. Isso desafogará o Centro Cirúrgico, uma vez que pacientes recém-operados não precisarão permanecer no local sendo direcionados para a UCI. O pronto-socorro também será beneficiado com os novos leitos de cuidados intermediários.