Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
1/04/20 às 16h40 - Atualizado em 1/04/20 às 17h40

Novas regras para acompanhantes na hora do parto

COMPARTILHAR

Orientação é que os acompanhantes não sejam do grupo de risco para Covid-19 e nem estejam gripados

 

O momento do parto gera sempre um misto de emoções nas futuras mamães, pois é sempre aguardado com muita ansiedade, expectativa, insegurança, enfim, uma grande mistura de sentimentos. Com o objetivo de proteger as gestantes e seus bebês da Covid-19, a Secretaria de Saúde do Distrito Federal acabou alterando alguns protocolos relacionados aos acompanhantes durante a hora do parto e às visitas às puérperas e aos recém-nascidos.

 

“Foi feito um fluxo local para cada hospital, de acordo com as peculiaridades de cada unidade. Alguns locais são maiores e mais ventilados, outros nem tanto. Cada superintendência organizou o fluxo de acordo com seu espaço”, explica a referência técnica distrital de Ginecologia e Obstetrícia da Secretaria de Saúde, Marta de Betânia Teixeira.

 

 

Alguns hospitais estenderam os turnos de acompanhamento de seis para 12 horas a fim de reduzir o fluxo de pessoas, como é o caso do Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib). Antes, os turnos eram de seis horas. As maternidades também diminuíram ou eliminaram os horários de visitas para evitar aglomerações.

 

O tempo de liberação para a alta não mudou e segue alguns protocolos específicos, sendo de 24h a 48h para parto normal e de 48h a 72h para cesariana.

 

RECOMENDAÇÕES – Assegurado por lei, o direito a acompanhante continua valendo. No entanto, é necessário levar em conta alguns fatores relacionados ao coronavírus.

 

“Cada gestante tem direito a um acompanhante, desde que não esteja com sintomas gripais. Além disso, as pacientes são orientadas a dar preferência a acompanhantes fora dos grupos de risco para Covid-19. Se a gestante tiver uma doula, terá que escolher entre ela ou seu parceiro, ou acompanhante”, esclarece a referência técnica distrital de Ginecologia e Obstetrícia, Marta de Betânia Teixeira.

 

Em casos de cesarianas, alguns hospitais só vão liberar o acompanhante dentro da sala do Centro Obstétrico se tiver Equipamentos de Proteção Individual (EPIs). Caso o número de EPIs esteja reduzido, o acompanhante verá o parto pelo vidro, do lado de fora da sala.

 

Todas as gestantes estão recebendo orientações acerca do risco de contaminação do coronavírus dentro das unidades hospitalares, já que a circulação nos espaços de parto e centros obstétricos é bem grande, pois há várias equipes médicas.

 

CORONAVÍRUS – Gestantes que apresentam sintomas da Covid-19 ou são casos confirmados serão transferidas para internação no Hospital Regional da Asa Norte (Hran), referência no atendimento de casos do coronavírus. Caso a gestante não apresente necessidade de internação, ela é orientada a ficar em isolamento domiciliar.

 

Jurana Lopes, da Agência Saúde
Fotos: Geovana Albuquerque, da Agência Saúde

 

Leia também...