Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
13/06/18 às 19h47 - Atualizado em 13/06/18 às 19h56

Novo contrato amplia tratamento de radioterapia no DF

COMPARTILHAR

Hospital Santa Lúcia assinou contrato de radioterapia com a Secretaria de Saúde – Foto: Divulgação

 

A Secretaria de Saúde assinou um contrato de prestação de serviços de radioterapia, no valor de R$ 10,2 milhões por ano, com o Hospital Santa Lúcia. O documento estabelece que a entidade oferte à rede pública de saúde, ao longo de 12 meses, tratamento para até 74 pacientes, por mês.

 

No contrato, firmado nesta terça-feira (12), são contemplados os procedimentos da radioterapia e outros associados (ressonância magnética de crânio, consulta médica em atenção especializada, e tomografia computadorizada de sela túrcica/crânio, de pelve, de pescoço, do abdome superior e de tórax).

 

“Com a assinatura do contrato com o Hospital Santa Lúcia completamos o plano para restabelecer as vagas de radioterapia no Distrito Federal. São 74 novas vagas por mês”, comemora o secretário de Saúde, Humberto Fonseca.

 

No momento, a fila da radioterapia no Distrito Federal tem 291 pacientes. A expectativa da Secretaria de Saúde é reduzir esse total com as demais prestadoras de serviço.

 

Além do Hospital Santa Lúcia, também dão suporte à pasta na área de radioterapia, por meio de contrato de prestação de serviços, o Hospital Universitário de Brasília (HUB), o Instituto Hospital de Base (IHB), o Hospital Sírio-Libanês e o Instituto de Radioterapia de Taguatinga (IRT).

 

“Juntamente com as vagas já contratualizadas do Instituto Hospital de Base, HUB, Sírio Libanês e IRT, teremos condição de zerar a fila e mantê-la zerada”, garante Humberto Fonseca.

 

COMPLEXO REGULADOR – Os pacientes serão encaminhados ao prestador de serviços pelo Complexo Regulador de Saúde do Distrito Federal, que recebe a demanda das unidades públicas de saúde, regula conforme a prioridade clínica e encaminha para a unidade executar o procedimento.

 

“Com o Santa Lúcia, aumentamos o potencial de oferta de tratamento para mais pacientes por mês. Isso significa que a secretaria está efetivamente trabalhando para aumentar a oferta e reduzir o tempo de espera”, informa o diretor do Complexo Regulador de Saúde, Sandro Rodrigues.

 

TEXTO: Leandro Cipriano, da Agência Saúde