Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
3/03/15 às 20h53 - Atualizado em 30/10/18 às 15h11

Novos médicos reforçarão atendimento nas unidades básicas de Saúde

COMPARTILHAR

Os 39 profissionais estão sendo apresentados ao sistema de trabalho d?a rede

BRASÍLIA (3/3/15)- Os 39 médicos provenientes do Programa de Provisão de Médicos do Ministério da Saúde (Mais Médicos e Provab) para trabalhar no Distrito Federal foram acolhidos nesta terça-feira (3) pela Secretaria de Saúde e pelo Ministério da Saúde. Eles atuarão em unidades de básicas de saúde, prioritariamente na atenção básica e saúde da família.

O acolhimento continua nas próximas duas semanas e visa explicar aos profissionais recém-chegados as regras, a lógica da frequência e a atuação nas unidades de saúde básica do DF. O trabalho se inicia, de fato, em 16 de março. A lotação de cada um será anunciada aos médicos na sexta-feira (6), após conclusão do processo de remoção de médicos efetivos da Secretaria de Saúde do DF.

“Receber estes profissionais do Mais Médicos é muito importante para o nosso principal desafio para os próximos quatro anos, que é o fortalecimento da atenção básica. Precisamos de pessoal”, destaca o secretário de Saúde, João Batista de Sousa. Ele frisa, ainda, que mais do que trazer esses médicos, o programa do Ministério da Saúde também traz mais formação. “As escolas médicas estão se adaptando às novas diretrizes. Todas estão dando mais ênfase à atenção básica”, conclui.

MAIS ADESÃO- Segundo o secretário de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde do Ministério da Saúde, Heider Pinto, o interesse dos profissionais em aderir ao Mais Médicos foi maior desta vez. “Os municípios solicitaram pouco mais de 4,1 mil vagas e tivemos quase 16 mil médicos brasileiros inscritos no programa. Tivemos 93% de ocupação de vagas”, explica. Ele diz que isso se deve ao fato de o programa estar ganhando maior credibilidade.

A médica Larissa Braz de Souza, 30 anos, é uma das acolhidas no DF. Até então moradora de Goiânia, ela viu no programa a possibilidade de ter estabilidade por três anos, atuando numa área que a atrai. “E Brasília tem uma organização de saúde básica diferenciada. Pareceu-me uma boa opção”, destaca.

Além de jovens profissionais, o programa também atraiu médicos mais experientes, como é o caso de Flávio Aurélio Nogueira, 67 anos. Só em programa de saúde da família ela já atua há 10 anos. “Eu me formei em Brasília, fui para São Paulo e estava atuando no Piauí. Já estou aposentando. Mas vi no Mais Médicos a oportunidade de voltar a atender o povo na cidade onde me formei”, diz, completando ser um apaixonado pela profissão.

De acordo com o secretário de Saúde do DF, João Batista, qualificar os profissionais para atuar com atenção básica pode ajudar a resolver 80% dos problemas de saúde ainda nos centros de saúde, antes de chegar aos hospitais. “Por isso queremos expandir essa atuação, focar na formação dos profissionais para que, em quatro anos, a gente saia dos 27% de cobertura de saúde da família para chegar a 80%”, frisa.

A próxima chamada de médicos nos programas do Ministério da Saúde será nos dias 17 e 18 de março. Para o Distrito Federal, somente duas vagas serão abertas, sendo elas as que não foram preenchidas nesta chamada de fevereiro, quando 41 foram chamados, mas 39 se apresentaram.