Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
6/09/16 às 15h22 - Atualizado em 30/10/18 às 15h16

Paciente é resgatada no trânsito pelo Samu para receber transplante

COMPARTILHAR

Ela aguardava há sete anos na fila pelo transplante, recebeu o chamado durante um engarrafamento e precisava comparecer em 30 minutos ao Incor

BRASÍLIA (6/9/16) – Presa no trânsito, mas com o tempo contado para receber um transplante de coração que aguardava há sete anos, uma mulher de 39 anos foi resgatada com sucesso, pelo Samu, de um engarrafamento em Samambaia, na manhã desta terça-feira (6). A paciente, que havia recebido o chamado para comparecer em 30 minutos ao Instituto de Coração (Incor) para a cirrugia, pediu ajuda à Secretaria de Saúde, que deslocou duas duplas de motociclistas, sendo uma de Taguatinga e outra de Samambaia, além um veículo de intervenção médica.

“Quando recebemos o chamado, fomos imediatamente para o local. As motos foram bloqueando o trânsito e abrindo a passagem. Sem ter que fazer nenhuma parada durante o percurso, graças a Deus conseguimos chegar a tempo”, contou o condutor do Samu, Jonas Gomes de Souza.

Segundo ele, em dois minutos a equipe chegou ao local. Após tranquilizar a mulher, que estava nervosa, eles conseguiram fazer o transporte com segurança em apenas oito minutos, tempo suficiente e dentro do necessário.

Souza, que também atua como instrutor no Samu, tem 53 anos e atua há 11 na instituição. Ele conta que tem orgulho de trabalhar no serviço. “É um trabalho gratificante. Fazemos muitos treinamos. Quando conseguimos reverter uma situação crítica a satisfação é muito grande. Não há dinheiro que pague”, disse, ao lembrar que é necessário que as pessoas contribuam com o trabalho, oferecendo passagem para as viaturas.

Na equipe do resgate da paciente do transplante, estavam os motociclistas de Samambaia Antônio Carlos e Cláudio Silva; e os de Taguatinga Tiago Mota e Renato Silva.

Também contribuíram outros oito profissionais, entre eles, médicos reguladores, operadores de frota, enfermeiras da central e um telefonista auxiliar de regulação médica.