Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
19/07/16 às 18h27 - Atualizado em 30/10/18 às 15h15

Parceria resulta em Colônia de Férias para filhos de servidores da Região Sul

COMPARTILHAR

Projeto nasceu de parceria institucional com a comunidade

BRASÍLIA (19/7/16) – Uma iniciativa motivada por solicitação de um servidor, acolhida pela administração e apoiada pela comunidade, resultou na criação da colônia de férias para os filhos dos servidores dos hospitais de Santa Maria e do Gama. Com programação até quinta-feira (21), o cronograma conta com apresentações musicais, canto, mágicos, fantoches, peças infantis no teatro do SESC, contação de histórias e dinâmicas de psicologia. Também há oficina didática de escovação e educação nutricional, passeios ecológicos regados a banho de piscina e brinquedos infláveis.

“A colônia está proporcionando suporte aos servidores durante esse período, contribuindo para evitar atrasos e abstenções e, principalmente, assegurando ocupação de qualidade às crianças, que geralmente ficam ociosas em casa”, explica Leandra Rodrigues, chefe do Núcleo de Educação Permanente em Saúde do Hospital de Santa Maria e uma das responsáveis pela implantação do projeto.

Leandra Rodrigues esclarece que a viabilização das atividades ocorreu por ação integrada com a diretoria administrativa do hospital, a Comissão de Eventos, o Conselho de Saúde local, bem como a adesão de voluntários.

“Uma vez definida a instalação da colônia, buscamos parceiros entre instituições e na comunidade, que são fundamentais para garantir a cobertura de custos e a contratação de prestadores de serviços, fornecimento de alimentação e a oferta de brinquedos infláveis, por exemplo”.

Ao todo, a colônia de férias atende 68 crianças no Hospital de Santa Maria e 29 do Gama. São 16 monitores em Santa Maria e 8 no Gama. Eles são servidores dos hospitais, que colocaram seu tempo à disposição das crianças nos dias de folga.

Uma das voluntárias é da pedagoga e técnica de enfermagem Rosilda dos Reis Cunha, que aderiu imediatamente ao projeto, já que muitos servidores queixavam-se constantemente da ociosidade das crianças em casa e até mesmo da falta de lugar para deixá-las durante as férias. “Espero que essa seja a primeira de muitas colônias que virão”, diz, sem esconder a animação.

O entusiasmo é compartilhado pela presidente do Conselho de Saúde da Regional, Denise Bastos, que pretende ampliar o alcance do projeto. “Houve grande aceitação por parte dos servidores e, com a adesão institucional e da comunidade que já tivemos, percebemos que é possível estender esse benefício a um número maior de pessoas”, afirmou.

Se depender da opinião da servidora Ângela Barbosa, técnica em enfermagem do Hospital de Santa Maria, a iniciativa já tem sucesso garantido. “Aderi à colônia imediatamente porque nossos filhos ficam em casa sem ter o que fazer e sem ter onde queimar as energias – e ainda por cima ficam ligando o tempo todo para nós”, finalizou.