Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
11/04/17 às 20h57 - Atualizado em 30/10/18 às 15h17

Pesquisas apontam relação entre tabagismo e depressão

COMPARTILHAR

Incidência de doenças mentais é maior nos fumantes

BRASÍLIA (11/4/17) – Um estudo realizado pela Equipe Técnica de Tabagismo, da Gerência de Atenção aos Ciclos de Vida da Secretaria de Saúde do Distrito Federal, com amostra de 1.233 tabagistas atendidos no período de 2009 a 2011, demonstrou uma prevalência de 50% de pacientes com provável ou possível diagnóstico de depressão.

Os dados refletem o que estudos mundiais também apontam: a prevalência de tabagismo é maior em pacientes psiquiátricos (50% a 84%) do que em controles (27% a 58%). As informações apontam que a ocorrência de sintomas depressivos em pacientes em Programas de Tratamento de Tabagismo variou de 49% a 61%.

É possível que a depressão predisponha a recaídas, tornando mais difícil as tentativas de parar de fumar. Por outro lado, abandonar o vício pode facilitar o desenvolvimento de episódios depressivos, mas o tratamento concomitante contribui positivamente para o sucesso do tratamento.

CONDUTAS – A discussão da relação entre o tabagismo e outros transtornos psiquiátricos traz informações importantes para a prática clínica, resultando na produção de orientações que possibilitam condutas mais adequadas nos diversos contextos terapêuticos. Os profissionais de saúde que realizam tratamento de fumantes devem estar atentos a essa realidade.

Vale ressaltar que, parar de fumar, independentemente da idade, reduz drasticamente o risco de desenvolver doenças e mortes precoces relacionadas ao tabagismo, ou seja, inclui ganhos na qualidade e na expectativa de vida além dos econômicos e sociais.

No Distrito Federal, a Secretaria de Saúde possui profissionais capacitados para realizar o tratamento do tabagismo em todas as Superintendências de Saúde. Confira aqui os locais de tratamento.