Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
27/01/14 às 11h16 - Atualizado em 30/10/18 às 15h10

Saúde realiza atendimento especializado à população de rua

COMPARTILHAR

Elevação da autoestima, estimulando o autocuidado e a construção de novos vínculos

A Rede Pública de Saúde do Distrito Federal oferece para pessoas em situação de vulnerabilidade e que vivem nas ruas do Plano Piloto, Taguatinga e Ceilândia atenção básica por meio dos Consultórios na Rua. Em 2013 foram realizados 1.800 atendimentos médicos, 2.915 de enfermagem, 1.120 de psicologia e 1.145 de assistente social.

Augusta Maria Barbosa, psicóloga e chefe do Núcleo de Programas Estratégicos, esclarece “que o objetivo dos consultórios é oferecer cuidados em saúde independente do desejo de sair das ruas ou não, porém o fato de estar sendo cuidado e respeitado como cidadão, às vezes colabora no despertar desse desejo”.

Prevenir e tratar doenças, reduzir os danos a que estão expostos, além de contribuir para a elevação da autoestima, estimulando o autocuidado e a construção de novos vínculos, buscando a inserção social, também são objetivos dos consultórios.

Os pacientes muitas vezes começam um tratamento, mas desaparecem e retornam muito tempo depois. “Estamos acompanhando, com o apoio do centro de saúde, uma moradora na área do Setor P Sul que está gestante, mas ela não vai com freqüências às consultas”, afirma a enfermeira Jeslaine Viana, coordenadora do Consultório na Rua de Ceilândia.

As situações que as equipes encontram são muito variadas, vão desde pacientes com feridas nos pés e pernas, usuários de álcool e drogas, problemas respiratórios, crianças e adolescentes que perderam os vínculos sócio-afetivos e o trabalho de aproximação com a população de rua não é fácil.

Segundo a enfermeira Jeslaine, temos que nos aproximar com todo tato. “No início das atividades em Ceilândia sentimos que os moradores eram arredios, não acreditavam que estávamos ali para ajudá-los e reinseri-los na sociedade, mas gradativamente fomos adquirindo a confiança deles e hoje muitos nos procuram não só para tratamento de saúde, mas para inclusão em outros serviços”, conta a enfermeira.

“Hoje, muitos moradores de rua já se achegam aos serviços de saúde de forma voluntária, embora não seja de forma contínua”, relata Jeslaine. O fato de a equipe contar com psicólogos e assistentes sociais facilita o desenvolvimento de um olhar para a saúde integral do indivíduo e não apenas a visão biomédica.

Segundo Augusta Barbosa, “os consultórios na rua atuam, também, junto aos usuários de drogas que vivem em situação de rua, por meio de uma abordagem diferenciada e humanizada, realizam encaminhamentos para os Centros de Atenção Psicossociais (CAPS) e outras unidades terapêuticas referenciadas, respeitando a vontade da pessoa atendida.”

Trabalho com a equipe de saúde – Plano Piloto, Taguatinga e Ceilândia são cidades do DF que concentram maior número de pessoas em situação de rua.

O Consultório na Rua de Ceilândia realizou, em 2013, uma sensibilização sobre população de rua em todas as Unidades Básicas de Saúde e Centros de Atenção Psicossociais/AD; mapeamento de todos os territórios, identificando áreas de concentração de PSR e seus grupos, além de ações intersetoriais como, Circuito Cidadão na Rua, projeto Ação pela Vida; Cidade Acolhedora; Domingão do Laser com a ADM da Ceilândia; Mutirão da Saúde na Casa de recuperação El Shadai; apresentação do Consultório na Rua no Fórum Mundial de Direitos Humanos; Ação Hanseníase com o Consultório na Rua do Plano Piloto.

Em Taguatinga foi realizado um evento de prevenção à tuberculose junto aos moradores de rua, onde 200 pessoas foram atendidas, diagnosticadas e receberam orientação sobre a doença. Estes pacientes participaram também de oficinas educativas sobre a prevenção de tuberculose e de outras doenças infecto-contagiosas.

Para 2014, o Consultório na Rua de Ceilândia vai intensificar a busca ativa no atendimento de prevenção em saúde e ações socioeducativas com crianças, adolescentes, mulheres, homens e idosos de rua por meio de atividades educativas, lúdicas e socioeducativas; grupos de Práticas Integrativas Itinerantes; orientar e identificar a situação de saúde e nutricional; identificar os casos sem cobertura vacinal; identificar casos de hanseníase, tuberculose, diabetes, hipertensão, DST/Aids; testes e palestras educativas DST/Aids/tuberculose e hanseníase; entre outras.

Veja onde os consultórios estão localizados:

Equipe de Consultório na Rua do Plano Piloto: a equipe atua deste junho de 2012, está localizado nas 903 Sul e conta com médico, psicólogo, assistente social, enfermeira e técnicos de enfermagem.

Equipe de Consultório na Rua de Ceilândia: fica no centro de saúde nº 5, Ceilândia Sul. A equipe trabalha desde julho de 2012 e é formada por psicólogo, assistente social, enfermeira e técnicos de enfermagem. Está prevista a chegada de um médico de família e comunidade para o Consultório na Rua do local.

A equipe do Consultório na Rua de Taguatinga, conta com psicólogo, assistente social, enfermeira e técnicos de enfermagem. Também está prevista a chegada de um médico da Família e Comunidade; foi formada em setembro de 2012 e fica localizada no centro de saúde 6, Taguatinga Sul.

Por Regina Célia e Júlio Duarte, da Agência Saúde DF
Atendimento à imprensa
(61) 3348-2547/2539 e 9682-9226