Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
28/04/20 às 12h00 - Atualizado em 29/04/20 às 13h32

População em situação de rua abrigada no autódromo é testada para a Covid-19

COMPARTILHAR

Todos os abrigados e trabalhadores do local testaram negativo para a doença

 

A Secretaria de Saúde realizou, nesta segunda-feira (27), a testagem rápida para a Covid-19 em 196 pessoas em situação de rua que estão abrigadas nos alojamentos do Autódromo Internacional Nelson Piquet. Além deles, também foram testados aqueles que trabalham diariamente no local e alguns servidores da Secretaria de Desenvolvimento Social, totalizando 278 testagens, todas negativas para a doença.

 

De acordo com a gerente de Atenção à Saúde à População em Situação Vulnerável e Programas Especiais, Denise Leite Ocampo, o Estado é responsável pela sua população em situação de rua, por isso deve tomar todas providências no sentido de cuidar dela e monitorá-la.

 

Todos aqueles que estão abrigados no local com algum sintoma gripal estão sendo mantidos afastados uns dos outros, nos alojamentos que ainda se encontram vazios.

 

Para a secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha Rocha, todo trabalho realizado no alojamento visa assegurar a prevenção de forma igualitária aos brasilienses e, assim, frear a disseminação do novo coronavírus.

 

“O objetivo dos nossos alojamentos é oferecer uma estrutura digna à população de rua. Isso inclui, assim como a alimentação, o dormitório, o isolamento; também o acompanhamento em saúde, com vistas à prevenção ao coronavírus e às demais doenças”.

 

Josué Fernandes, de 35 anos, conta que mora na rua há três meses e que achou a iniciativa bastante positiva. “A gente fica com medo de pegar uma doença dessa, aqui dentro nos sentimos protegidos, a salvo”, avalia.

 

Francisco José Silva, 36 anos, afirmou que está se sentindo em um hotel cinco estrelas e agradece o tipo de acolhimento. “O atendimento aqui é ótimo, maravilhoso. Quando precisamos de remédio nos dão, temos alimentação excelente, cobertores, lugar para dormir. Além disso, todos nos tratam com muito carinho”, conta. Ele já vive em situação de rua há seis anos.

 

CASO CONFIRMADO – A ideia de testar todos os abrigados no autódromo ocorreu após um deles testar positivo para o coronavírus. “Ele estava mais afastado dos outros, mas como começou a se queixar de falta de ar, o Samu o levou para o Hran e lá ele testou positivo para Covid-19, onde está internado. Por isso decidimos testar todo mundo que está aqui”, relata Denise.

 

INSTALAÇÕES – O autódromo é uma unidade de acolhimento com capacidade para 200 pessoas, administrado pela Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) e organizado pelo Instituto Tocar, contratado pela pasta. Os alojamentos começaram a funcionar no dia 7 de abril e está previsto para seguir por 90 dias ou enquanto durar a pandemia.

 

Jurana Lopes e Leandro Cipriano, da Agência Saúde
Fotos: Breno Esaki, da Agência Saúde

Leia também...