Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
6/05/13 às 15h18 - Atualizado em 30/10/18 às 15h05

Portadores de Necessidades Especiais ganham Centro Especializado em Reabilitação

COMPARTILHAR

Unidade Mista de Taguatinga será o primeiro centro do DF a ser credenciado

Os pacientes, portadores de necessidades especiais (PNE), do Distrito Federal ganham Centro Especializado em Reabilitação, na modalidade física e intelectual (CER II), nesta terça-feira (07), às 12h, na Unidade Mista de Taguatinga (UMT). O objetivo do novo serviço é atender pacientes, em todas as faixas etárias, que precisam de tratamento especializado em reabilitação, diagnóstico, avaliação e orientação, dentro de uma estrutura adequada à sua condição física e mental.

De acordo com o coordenador Geral de Saúde de Taguatinga, Otávio Augusto de Siqueira, a inauguração do CER é uma conquista para os pacientes que precisam de tratamento de reabilitação. “Estamos muito felizes por termos sido a unidade escolhida pelo MS para o lançamento do CER II no Distrito Federal. Agora, os pacientes que apresentam algum tipo de deficiência poderão contar com mais esse serviço.” 

A humanização no tratamento do portador de deficiência é um dos principais pontos de destaque na implantação do centro, segundo a gerente da UMT, Eliene Ancelmo Berg. “A finalidade maior deste centro é fazer com que o paciente que necessita de atendimento especializado, tenha garantido o direito de cuidar da sua saúde, com toda a estrutura preparada, para que ele possa ter o resgate da sua saúde”, reflete a médica.

Para ser credenciada pelo MS como CER II e fazer parte da Rede de Cuidados à Saúde da Pessoa com Deficiência, a UMT que já atendia aos critérios de implantação, passou por uma reforma na sua estrutura física. Agora, os pacientes vão contar com uma equipe de profissionais multidisciplinar, composta por neurologistas, psicólogos, terapeutas ocupacionais assistentes sociais e enfermagem. Como também, poderão utilizar o novo espaço físico adaptado à sua necessidade especial, tais como: ambiente de 1.700 metros quadrados, sala de triagem médica e/ou de enfermagem, consultórios indiferenciado (sala de atendimento terapêutico em grupo infantil), guichês de atendimento com ampla visibilidade, vasos sanitários adaptados, aparelhagem destinada à reabilitação cognitiva e física, e acesso para cadeira de rodas utilizando os elevadores (entrada norte) e acesso as rampas (entrada sul).

Claudete Nascimento