Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
16/04/20 às 13h30 - Atualizado em 16/04/20 às 16h16

Profissionais da Nutrição são capacitados

COMPARTILHAR

Eles receberam orientações sobre a maneira correta de se proteger da Covid-19 e os refeitórios sofreram modificações e adequações

 

Com a pandemia do novo coronavírus, os hospitais da rede estão seguindo algumas recomendações específicas para proteger seus profissionais e pacientes. Na cozinha e refeitórios, a preocupação não é diferente, já que são ambientes com muita circulação de pessoas e com grande chance de proliferação da Covid-19.

 

De acordo com a gerente de Serviços de Nutrição, Carolina Gama, a primeira preocupação dos hospitais é o compartilhamento do espaço do refeitório pelos servidores no momento das refeições. Então, as mesas foram organizadas com dois metros de distância entre elas de acordo com os decretos do governador para evitar aglomerações.

 

Também há ações relacionadas à educação dos servidores para retirarem os jalecos e fazerem a correta higiene das mãos antes das refeições. As filas do refeitório estão sendo organizadas de forma a manter a distância recomendada entre os servidores.

 

“Alguns hospitais optaram por manter um funcionário da empresa contratada em cada preparação do refeitório para evitar que vários servidores peguem no mesmo utensílio na hora de se servir”, explica a gerente.

 

TREINAMENTO – No Hospital Regional do Guará (HRGu) foi realizada capacitação para 15 funcionárias do Núcleo de Nutrição e Dietética (NND) sobre medidas preventivas de enfrentamento do coronavírus, orientações gerais acerca da Covid-19 e fluxo de atendimento, além do comportamento e abordagem das copeiras nos leitos.

 

“Identificamos espaçamento no piso do refeitório para controle do atendimento; instituímos copeira paramentada exclusiva para distribuição de refeições dos pacientes do Pronto-Atendimento adulto e infantil; fizemos uma ação visual com demonstrativo de roupa privativa na porta do refeitório do HRGu, dentre outras ações em cumprimento ao Decreto n° 40.520”, explica a nutricionista chefe do Núcleo de Nutrição e Dietética do HRGu, Rosemary Caldas.

 

Conforme pesquisas, sabe-se que os jalecos e roupas privativas podem ser veículos de contaminação. Por isso, no HRGu foi realizado trabalho para chamar a atenção dos servidores, através de apresentação visual capaz de levar à reflexão do que cada um está fazendo e carregando, bem como a importância da ação de cada profissional em prol do coletivo no contexto atual, frente à pandemia.

 

“Todo trabalho educativo em saúde é um processo contínuo que requer acompanhamento diário. Percebemos de imediato, através do retorno das pessoas envolvidas que, a ação gerou esclarecimento e direcionamento correto em prol da segurança de todos”, observa Rosemary.

 

AÇÕES – Todos os hospitais fizeram alguma mobilização na área nutricional para minimizar a contaminação no ambiente hospitalar, ações conjuntas com os Núcleos de Controle de Infecções Hospitalares de cada unidade.

 

Segundo a gerente de Serviços de Nutrição, Carolina Gama, o Hospital Regional de Sobradinho (HRS) limitou o acesso ao refeitório e paramentou melhor as copeiras para a entrega das dietas. A ação no Hospital São Vicente de Paula (HSVP) foi o redimensionamento do refeitório, retirada dos TNTs e higienização das mesas com álcool e troca do jogo americano após cada saída de comensal. No Hospital Regional do Gama (HRG), está ocorrendo o treinamento das copeiras e outras providências de redimensionamento do refeitório estão sendo analisadas.

 

No Hospital Regional de Planaltina (HRPL) foram feitas as ações de capacitação e distanciamento das mesas. Já no Hospital Regional de Brazlândia (HRBz), foi feita a redução de assentos e mesas, cartinhas nas paredes com avisos e um funcionário na porta orientando lavagem de mãos e proibindo entrada com roupas privativas e jalecos.

 

No Hospital da Região Leste (antigo Hospital Regional do Paranoá), foi feito o distanciamento das mesas do refeitório e realizada a limpeza frequente das mesas com álcool 70% sempre que esvaziadas. Além disso, todos os funcionários do refeitório estão utilizando máscaras, a entrega dos talheres já embalados, ampliação do horário de funcionamento do refeitório, avisos sobre a higienização das mãos e regras de não uso de roupas privativas dos respectivos setores, como jalecos e demais instrumentos, entre outras ações.

Jurana Lopes, da Agência Saúde
Fotos: Divulgação

Leia também...