Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
19/11/14 às 13h14 - Atualizado em 19/11/14 às 19h21

Saúde aciona Corregedoria para apurar atestados

COMPARTILHAR

Pasta promete abrir sindicância e convocar os conselhos regionais para fiscalizar

BRASÍLIA (19/11/14) – A secretária de Saúde, Marília Coelho Cunha, prometeu apurar o excesso de atestados médicos que deixam a população desatendida, como ocorreu no último domingo (16) no Hospital Regional da Asa Norte (Hran), em que nenhum dos quatro plantonistas escalados apareceu para trabalhar.

A pasta acionou a corregedoria, que já está investigando as licenças médicas no hospital. As mesmas irregularidades também serão apuradas nos hospitais da Ceilândia, de Santa Maria e de Samambaia.

Marília Coelho prometeu checar atestado por atestado, além de comprovar a produtividade de todos os profissionais durante o horário de trabalho, contrastando os dados de quem bateu ponto com as informações de prontuários. A investigação irá, ainda, filtrar a quantidade de licenças tiradas pelos servidores da Secretaria de Saúde.

“Vamos abrir, sim, sindicância, vai ter processo administrativo e vai ter, inclusive, carta para os conselhos das profissões regulamentadas, como Conselho Regional de Farmácia, de Enfermagem, de Medicina, por exemplo, que têm a responsabilidade de fiscalizar as profissões, para tomar as providências cabíveis.”

A secretária ressaltou que a escala nos hospitais é feita com um a dois meses de antecedência e os profissionais podem dizer se vão fazer hora extra ou não. “Quando ele (profissional) está na escala, ele tem que ir e os conselhos regionais sabem disso. Nenhum profissional pode abandonar o serviço e desistir de fazer hora extra no dia do plantão”, ressaltou a secretária.

Engajamento

Apesar de haver provável irregularidade com atestados médicos por parte de alguns profissionais, Marília Coelho Cunha ressaltou que, no geral, o coletivo é engajado. Ela citou como exemplo o caso dos pediatras, que se reuniram para elaborar estratégias para suprir o déficit de profissionais na rede e cobrir os plantões. “Quero deixar muito claro que temos uma gama de médicos e outros especialistas muito comprometidos. Os melhores médicos de Brasília estão na Secretaria de Saúde”.

Os médicos do DF recebem o melhor salário do Brasil e durante os últimos quatro anos receberam o maior aumento da história, de 87%. A secretária destacou que irá pedir o apoio dos sindicatos com relação aos atestados. “Não é possível que os sindicatos não compreendam que quem é mais penalizada é a população. Quando um profissional não aparece para trabalhar e deixa o plantão descoberto, quem sofre é a população”.

Só neste ano, a Secretaria de Saúde já recebeu 29.317 atestados das diferentes categorias profissionais. “Nós vamos tomar providências”, frisou a gestora.