Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
24/05/13 às 13h12 - Atualizado em 30/10/18 às 15h05

Saúde alerta para os cuidados com período da seca

COMPARTILHAR

A Saúde pública do Distrito Federal (DF) alerta para os cuidados que a população deve ter com as estações de outono e inverno, período, que as emergências dos hospitais têm maior atendimento médico por infecções virais. Em 2012, no DF foram internadas 1.995 pacientes por crise de asma e 17 pacientes foram a óbito.

Segundo a especialista em Alergia e Imunopatologia pela Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia e coordenadora pela Secretaria de Saúde do DF, Marta de Fátima Guidacci “estamos no outono e no dia 21 de junho começa o inverno. Nestas estações temos mudanças bruscas de temperatura, geralmente as noites são frias e os dias quentes, proporcionando infecções virais (gripes e resfriados) aumentando em três a quatro vezes o atendimento nas emergências dos hospitais do DF”.

A especialista relata que as infecções virais não tratadas podem complicar com doenças bacterianas como as infecções nas amigdalas (amigdalites), dos seios da face (sinusites), dos ouvidos (otites), dos pulmões (pneumonias) e até meningites.

“As infecções virais e bacterianas podem precipitar crise de asma e piora da renite alérgica, além do que os ácaros – principal fator desencadeante de alergias – triplicam a sua proliferação nestas estações”, comenta a especialista.

Cuidados básicos

No período de seca, os lábios racham, a pele fica ressecada, os olhos ficam secos e vermelhos e o nariz sangra. As crianças e as pessoas maiores de 60 anos são as que mais sofrem.

Para ela, o cuidado que a população deve ter nesse período é com a alimentação, a ingestão de líquidos como água, água de coco, chás e sucos naturais; estar bem agasalhado; evitar aglomerações em ambientes fechados; evitar banhos quentes e demorados; uso excessivos de sabonetes ou buchas; hidratar a pele com cremes; aplicar soro fisiológico no nariz e olhos; usar filtros solares e chapéus; praticar exercícios físicos em locais abertos somente até 10 horas da manhã e após às 17 horas.

Medidas preventivas

Os alérgicos devem evitar em casa: tapetes, carpetes,  cortinas, almofadas, bichos de pelúcia e móveis estofados; revestir colchões e travesseiros com material sintético impermeável; usar colcha de algodão, piquê ou edredom. Não usar cobertores de lã ou chenile; as paredes de casa deverão ter pintura lavável; limpar a casa diariamente, principalmente os quartos, com pano úmido e aspirador de pó. Não usar vassouras, panos secos e espanadores; não usar umidificadores e vaporiza- dores por estimularem o crescimento de ácaros e fungos; evitar animais de penas e pelos dentro de casa; não utilizar inseticidas, espirais contra insetos, desodorantes ambientais e outras substâncias com cheiro ativo; não fumar dentro de casa e nem na presença do paciente; ter vida ao ar livre e praticar esportes.

Serviços disponíveis

A SES conta com 33 centros de referência do Programa de Atendimento ao Pacientes Asmáticos,  cinco unidades de Alergia e Imunologia nos hospitais: de Base (HBDF), Materno Infantil de Brasília (Hmib), Asa Norte (Hran), da Criança de Brasília (HCB) e Policlínica de Taguatinga.

A Coordenação da Alergia e Imunologia da SES/DF promove ações no período de seca por meio de campanhas na Semana de Combate à Asma com as caminhadas do paciente asmático.

Doenças mais frequentes

De acordo com a alergista, a asma, popularmente conhecida de bronquite asmática ou alérgica acomete cerca de 10% da população brasileira. A doença é caracterizada por tosse seca, cansaço para respirar e chiado no peito, principalmente à noite e pela manhã.

O renite alérgico é considerado um fator de risco para a asma. Vinte e cinco por cento da população brasileira sofre de renite alérgica. Os sintomas são entupimento nasal, coriza, espirros e coceiras frequentes no nariz, garganta e olhos.

Ao contrário do que a maioria pensa, a gripe e resfriado são bem diferentes. A gripe, causada pelo vírus influenza, que circula no outono e inverno, cujos sintomas são febre alta, tosse, dores no corpo, prostração, nariz entupido e escorrendo podendo complicar com pneumonia e até óbito.

O resfriado é causado por vários vírus como o rinovírus, adenovírus e outros vírus sendo os sintomas mais brandos e a circulação destes vírus ocorrem durante todo o ano.

De acordo com a especialista, o ideal é vacinar todas as pessoas maiores de seis meses com a vacina Trivalente para proteção da gripe Sazonal, H1N1 e H3N2. “A importância de vacinar tem como finalidade reduzir chances de apresentar outras doenças. Temos que vacinar contra bactérias (pneumococo e meningites e até septicemias – infecções generalizadas), além de vacinar contra rotavírus, um dos maiores responsáveis pelas diarreias e vômitos, contra varicela (catapora) que pode complicar com pneumonias, meningites, encefalites, septicemias e até o óbito principalmente em jovens, contra Hepatites A e B sendo que o vírus da hepatite B é 100 vezes mais infectante que o HIV e também contra o papilomavírus Humano (HPV) que é a segunda maior causa de morte por câncer entre mulheres e pode provocar câncer de pênis ou de ânus.

Marta Guidacci esclarece que, “ao contrário do que se pensa a seca em si não é ruim para o alérgico e o asmático, pois os ácaros e fungos precisam de umidade para o seu desenvolvimento e proliferação, portanto se aumentarmos a umidade do ambiente interno colocando umidificadores, bacias de água, toalhas molhadas, aumentaremos a umidade e, por conseguinte a proliferação destes micro-organismos tão nocivos à saúde. Devemos umidificar, sim, o nosso corpo e não o ambiente”.

Júlio Duarte