Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
29/07/20 às 18h40 - Atualizado em 30/07/20 às 12h43

Saúde cria comissão para monitorar hospitais de campanha

COMPARTILHAR

Objetivo é coordenar ações para fiscalizar os serviços

 

LEANDRO CIPRIANO, DA AGÊNCIA SAÚDE DF

 

Com o objetivo de fiscalizar o andamento dos hospitais de campanha para atender os pacientes com coronavírus, a Secretaria de Saúde designou gestores de várias áreas da pasta para integrarem a Comissão de Coordenação e Monitoramento dos Hospitais Temporários para Enfrentamento da Covid-19. A formação do colegiado foi publicada no Diário Oficial do Distrito Federal desta quarta-feira (29).

 

Hospital de Campanha do Estádio Nacional Mané Garrincha antes de ser inaugurado – Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde DF

“A comissão vai verificar o que está acontecendo nos hospitais de campanha, para eles não ficarem apenas a cargo dos executores dos contratos. Será uma forma de fiscalizar os serviços. No momento, estamos trabalhando para que os cenários ocorram como previsto nos próximos hospitais que serão inaugurados”, informou Gustavo Bernardes, coordenador da comissão e subsecretário de Atenção Integral à Saúde (Sais).

 

Para reforçar a retaguarda dos serviços, a Secretaria de Saúde tem estruturado hospitais temporários para o enfrentamento da Covid-19. O primeiro entregue à população foi o hospital de campanha do Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha, equipado com 197 leitos.

 

O objetivo da estrutura é receber os que estão se recuperando da doença. Até esta quarta-feira (29), 858 pacientes receberam alta e voltaram para casa desde que o hospital foi aberto. Atualmente, o número de internados chega a 150 pessoas.

 

Mais hospitais

 

Enquanto isso, estão sendo estruturados mais três hospitais de campanha. Um deles próximo à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Ceilândia, outro no Complexo Penitenciário da Papuda e mais um no Centro Médico da Polícia Militar, mais conhecido como Hospital da PM.

 

Hospital de Campanha do Centro Médico da PM receberá primeiros pacientes nos próximos dias – Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde DF

Os gestores da Secretaria de Saúde acreditam que essas estruturas serão um dos maiores legados para a rede pública de saúde do DF. A ideia é que eles sejam utilizados para reforçar o Sistema Único de Saúde (SUS) após a pandemia.

 

A exemplo do Hospital da PM, que conta com 84 leitos de UTI e 20 de enfermaria. A empresa responsável por gerir a unidade informou que os primeiros 50 leitos já estão prontos para iniciar as atividades, a princípio.

 

No hospital de campanha na Papuda estão previstos 20 leitos de enfermaria para a população carcerária. Será a primeira unidade prisional do DF a contar com atendimento hospitalar em suas dependências.

 

Já em Ceilândia, tem sido construída pelo GDF uma estrutura para 60 leitos, sendo 20 com suporte respiratório e 40 de enfermaria. As obras foram iniciadas e a expectativa é que sejam finalizadas nos próximos 60 dias.

 

EDIÇÃO: JOHNNY BRAGA

REVISÃO: JULIANA SAMPAIO