Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
15/07/13 às 21h25 - Atualizado em 30/10/18 às 15h06

Saúde esclarece óbitos de prematuros no HRC

COMPARTILHAR

A Secretaria de Saúde do DF informa que mortes no HRC estão sendo investigadas

O secretário de saúde do Distrito Federal, Rafael Barbosa, informou em coletiva de imprensa que não existe surto pela bactéria Serratia, mesmo após o óbito de dois bebês, neste domingo (14), na Unidade Neonatal no Hospital Regional de Ceilândia (HRC).

“Temos uma equipe que realiza monitoramente de rotina na Unidade Neonatal toda semana, afim de evitar a disseminação da bactéria, uma vez que a Serratia nunca será disseminada, pois é microrganismo existente em todas as Unidades Neonatais”, afirmou o secretário de saúde.

Um dos bebês, que nasceu com 710g e tinha 50 dias de vida, foi diagnosticado com a bactéria Klebsiella, e a outra, com 1k325g com 20 dias, em um primeiro exame de sangue, não foi diagnosticado com o mesmo microrganismo. O resultado da hemocultura, exame que poderá dizer qual o motivo do segundo óbito, sairá dentro de 30 dias.

Ainda, segundo Rafael, a situação é completamente diferente do ocorrido em abril deste ano, onde sete bebês desenvolveram a Serratia e três vieram a óbito.

Para evitar a disseminação, o secretário informou que a UTI Neonatal não está fechada, mas não receberá pacientes até o primeiro momento. “Dentre os oito leitos existes, dois estão sendo ocupados e essa é uma medida de contensão”, esclareceu.

Outras duas crianças com 1k040g e 1k572g, que estão internadas na Unidade Neonatal no HRC, apresentam a bactéria Serratia e estão sendo monitoradas por uma equipe específica.


Ascom