Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
12/07/19 às 9h40 - Atualizado em 12/07/19 às 9h45

Saúde marcará presença na 22ª Parada do Orgulho LGBTI+

COMPARTILHAR

 

Será feita uma enquete para avaliar o preconceito institucional nas UBS

 

Brasília receberá, no próximo domingo (14), a 22ª Parada do Orgulho LGBTI+. A Secretaria de Saúde estará presente ao evento, que começa 14h, com concentração em frente ao Congresso Nacional. Pela primeira vez, a pasta fará uma enquete para avaliar a questão do preconceito institucional nas unidades básicas de saúde, além de ações da Subsecretaria de Vigilância em Saúde (SVS).

 

“Não será uma pesquisa com o rigor científico que uma pesquisa requer. Será uma enquete com o propósito de avaliar o acesso dessa população aos serviços da Atenção Primária em Saúde e avaliar a questão do preconceito institucional sob a ótica dos usuários, com vistas a subsidiar futuras capacitações”, explica o gerente interino de Atenção à Saúde de Populações Vulneráveis e Programas Especiais, Rodrigo Ferreira Silva.

 

Segundo o gerente, não há denúncias formais de que este preconceito aconteça, mas há relatos feitos pelos usuários nos debates sobre o assunto. “As organizações sociais que os representa também se queixam muito e relatam que o público não procura tanto os serviços de saúde temendo ser tratados com preconceito”, destaca.

 

A enquete ocorrerá entre 15h e 18h e será feita por dois profissionais da coordenação primária e três residentes da Residência Multiprofissional em Saúde da Família. Os profissionais da SVS estarão no evento distribuindo preservativos e dando orientações.

 

PARADA – A Parada Gay de Brasília é considerada uma das maiores do Brasil. Em 2018, a manifestação reuniu mais de 100 mil pessoas. Este ano, o tema será “Stonewall 50. Beijo livre 40. Resistência e conquistas”.

 

A parada é uma data para reflexão e consciência, em que todos são incentivados ao sexo com responsabilidade, independentemente da parceria. Para isso, há várias formas de prevenção que podem ser combinadas. O mais divulgado é o uso de preservativos.

 

 

Alline Martins, da Agência Saúde

Fotos: Mariana Raphael/Saúde-DF

Arte: Danielle Freire/Saúde-DF