Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
5/06/18 às 8h05 - Atualizado em 21/06/18 às 14h45

Saúde nomeia mais 1.052 profissionais

COMPARTILHAR

 

Pediatras são a maioria entre os convocados. Foto: Matheus Oliveira

 

 

A Secretaria de Saúde publicou, a partir da página 19 do Diário Oficial desta terça-feira (5), a nomeação de 1.052 concursados para ocupar vagas dos aprovados que não tomaram posse (nomeação tornada sem efeito), vacâncias definitivas de aposentadorias e exonerações.

 

O maior número de convocações é de médicos, um total de 283, sendo a maioria pediatras (130).

 

Segundo o secretário de Saúde, Humberto Fonseca, as convocações priorizaram cargos que possibilitam a abertura de novos leitos, tais como os técnicos de enfermagem. Desta vez, 115 foram nomeados.

 

Todos os convocados terão 30 dias para tomar posse e, depois deste prazo, mais cinco dias para entrar em exercício.

 

Somente nesse período será possível saber onde os profissionais serão lotados.

 

CONTRATAÇÕES – A previsão do Governo de Brasília é chegar aos 10 mil nomeados para a Secretaria de Saúde, a contar desde 2015.

 

Até agora, já foram convocados cerca de oito mil aprovados em concursos públicos.

 

“Vamos seguir nomeando até o final do ano, porém, sempre para substituir vacâncias”, ressalta Fonseca.

 

“Tivemos autorização de ampliação de cerca de R$ 122 milhões, aprovados pela CLDF, e utilizamos completamente para contratação. Nomeamos 1.485, isso não é pouca coisa”, disse Humberto Fonseca, explicando que, com isso, não há mais orçamento para nomear quantidade além do que o necessário para substituições.

 

“Essas já têm previsão orçamentária e, por isso, conseguimos fazer”, completa.

 

O secretário frisou que ainda há concursos dentro do prazo de validade e é desses que a pasta tem chamado.

 

Há um total de quatro editais vigentes, três deles realizados em 2014 e com vencimento em dezembro deste ano, e mais um realizado no final do ano passado, com prazo final para 2020.

 

“Entendemos que há um déficit em diversas áreas da Secretaria de Saúde, mas priorizamos o objetivo do governo, que foi a abertura de leitos”, destacou Fonseca, lembrando que, neste sentido, é essencial a contratação de técnicos de enfermagem.

 

 

 

 

TEXTO: Alline Martins, da Agência Saúde