Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
10/12/12 às 12h24 - Atualizado em 30/10/18 às 14h57

Saúde promove ação contra a Aids em Samambaia

COMPARTILHAR

Serão oferecidos testes rápidos de HIV e sífilis

O Centro de Saúde nº 2 de Samambaia, localizado na Quadra 611, Área Especial, promove nesta segunda-feira (10), a partir das 8h, ações em alusão ao Dia Mundial de Luta contra a Aids, lembrado no dia 1º de dezembro. Palestras educativas sobre aconselhamento e formas de transmissão do vírus HIV e da sífilis, distribuição de preservativos, vacinação contra a hepatite B e testagem rápida para sífilis/HIV estão entre as atividades de mobilização que serão realizadas na unidade.

A pessoa que desejar fazer o teste rápido, que é feito a partir da coleta de uma gota de sangue no dedo, passará por um aconselhamento antes e depois do procedimento. O resultado do primeiro teste ficará pronto em torno de 30 minutos. Caso dê positivo, o exame é repetido para confirmação. Em seguida, serão encaminhados para o centro de referência, que é a Unidade Mista de Taguatinga.

A coordenadora do Programa DST/Aids da Regional de Samambaia, Ariane Silveira Lopes Teixeira, explica a importância dessas ações em relação à luta contra a Aids. “O Dia Mundial de Luta contra a AIDS serve para reforçarmos os cuidados. Essas informações devem ser vinculadas todos os dias. As portas dos centros de saúde estão abertas para orientar quanto ao uso do preservativo e até para quem queira fazer o teste de HIV”, ressaltou.

A coordenadora reforça o convite à população para que participem das atividades promovidas. “Nosso objetivo é informar a população para combatermos juntos estas doenças. Todos estão convidados”, enfatizou.

O teste é recomendado para as pessoas que fizeram sexo sem proteção, fizeram uso de objetos perfurantes contaminados (como seringas e agulhas), realizaram transfusão sanguínea e também mães soropositivas, que podem transmitir o vírus HIV durante a gestação, parto ou amamentação. A coordenadora ainda explica que “o diagnóstico precoce do HIV aumenta a qualidade de vida do paciente, permitindo um tratamento especializado no tempo certo”.

Iêda Oliveira