Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
29/08/17 às 17h07 - Atualizado em 30/10/18 às 15h18

Saúde promove ação contra o tabagismo na Rodoviária do Plano Piloto

COMPARTILHAR

Mobilização ocorre no Dia Nacional de Combate ao Fumo para conscientizar fumantes

BRASÍLIA (29/8/17) – Mesmo tendo conseguido resultados expressivos na redução do tabagismo no Distrito Federal – hoje com prevalência de 10,7% da população, contra os mais de 30% de uma década atrás – a equipe da Gerência de Atenção à Saúde nos Ciclos de Vida (GCV) não dá trégua às ações de prevenção a esse hábito nocivo, responsável pela morte de 428 pessoas diariamente no Brasil.

Nesta terça-feira (29), Dia Nacional de Combate ao Fumo, uma equipe multiprofissional da Secretaria de Saúde do DF (SES/DF) realizou um trabalho de conscientização na Rodoviária do Plano Piloto sobre os malefícios do cigarro, acompanhada pela oferta de exames gratuitos para avaliar a capacidade respiratória e o nível de dependência do tabaco, com a aferição da dosagem de monóxido de carbono no sistema respiratório.

“Estamos aproveitando a data, onde o assunto ganha maior repercussão, para divulgar a realidade sobre o tabagismo, que é uma só: o cigarro mata, como diz a campanha nacional de 2017. Mas estamos oferecendo um oportunidade para aqueles que desejam parar de fumar, encaminhando os interessados a um dos 49 unidades da rede de saúde do DF que têm equipes para pronto atendimento”, informa a gerente da GCV, Suzana Costa.

De janeiro a junho de 2017 essas unidades atenderam 1.054 pessoas, das quais 551 declararam ter abandonado o tabagismo. Para se inscrever, basta procurar o ponto de atendimento mais próximo. Todas as regiões de saúde contam com grupos de tabagismo em unidades básicas de saúde. 

Durante a entrevista com os interessados em largar o cigarro, os profissionais de saúde também demonstraram aos fumantes os altos custos para manter o vício. Em uma tabela impressa, são somados os maços consumidos diariamente, multiplicados pelo custo unitário do maço, pelos 365 dias do ano.

A conta assustou o motorista Roberto Soares Lima, que fumava em média dois maços diariamente. Após ser avaliado pelos profissionais da Saúde com a intenção de parar de fumar, percebeu a corrosão das finanças. “Estou com 51 anos e fumo há 36, quando fiz as contas, percebi que com esse dinheiro que virou fumaça poderia ter comprado uns três carros…é triste”, constatou.

Ao perceber o alto custo financeiro para manter o vício, Roberto se comprometeu a buscar a unidade de saúde mais próxima da sua casa e iniciar imediatamente o tratamento para superar o antigo hábito. “Fora as finanças, existe o problema maior, que é a saúde. Por causa do cigarro, não consigo dar uma carreira, mas isso vai mudar”, prometeu o motorista.

O tratamento consiste em quatro encontros semanais, em grupo, onde profissionais orientam fumantes sobre os malefícios do cigarro e quais as melhores formas de largar o vício. Quando é necessário, é feita a indicação de medicamentos. Depois, os encontros passam a ser quinzenais e mensais, sendo que os participantes são monitorados durante um ano.

Confira as fotos.