Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
3/02/17 às 12h07 - Atualizado em 30/10/18 às 15h16

Saúde supera em 3% contratações em 2016

COMPARTILHAR

Além de aposentadorias e vacâncias foram substituídos contratos temporários 

BRASÍLIA (03/02/17) – O objetivo era repor o quadro de pessoal, desfalcado por aposentadorias e desligamentos. Porém, a Secretaria de Saúde conseguiu mais em 2016: superou em 3% o número de contratações. Ao todo, 2.093 novos servidores foram contratados, sendo 1.115 para recomposição e outros 938 que possibilitaram as substituições de contratos temporários.

“Conseguimos isso sem entrar na Lei de Diretrizes Orçamentárias e a Lei de Responsabilidade Fiscal, porque entram em despesas que já tínhamos, porém, colocamos mais pessoas no atendimento à população”, frisa a subsecretária de Gestão Pessoal, Jaqueline Carneiro.

A categoria onde houve maior número de contratações foi a de médicos, com acréscimo de 9,91% no quadro de pessoal. Foram 729 nos profissionais da área, lotados nas diversas unidades da rede. Em seguida, técnicos em saúde, com 1.101 contratações, e enfermeiros, com 158 admitidos.

“Para 2017, a ideia é manter o processo de substituição de exoneração e vacâncias. Também pretendemos continuar substituindo aposentadorias, mas depende de autorização da governança”, adianta Jaqueline Carneiro.

Ela diz, ainda, que está em estudo as áreas de maior necessidade na secretaria para abrir novo concurso para essas especialidades. “Também queremos incluir aquelas áreas que não há cadastro reserva e que também não foram contempladas em concursos recentes”, completa, porém, frisando que não há previsão para o certame.

HORAS EXTRAS- A contratação de novos servidores ainda permitiu a redução de gastos com horas extras durante o ano de 2016, pois vieram a atuar em áreas onde a demanda era maior.
Essa redução foi de 32,25%. Até 2015, a Secretaria de Saúde gastava cerca de R$ 15 milhões por mês com horas extras. Em 2016, esse valor passou para R$ 11 milhões. Com novas contratações, é possível que essa redução seja ainda maior em 2017.

“Além das contratações, outro fator colaborou para essa redução. Conseguimos fazer um controle maior das horas extras, cruzando informações, devolvendo processos por inconsistência”, explica a subsecretária de Gestão de Pessoas.

Segundo Jaqueline, a médio prazo, será possível que a secretaria transfira esse valor das horas extras para outros benefícios diretos à população. “Poderemos reverter esses recursos em áreas como abastecimento e manutenção”, destaca.