Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
4/12/19 às 14h50 - Atualizado em 4/12/19 às 14h51

Secretário de Saúde recebe Prêmio Direitos Humanos do DF

COMPARTILHAR

Honraria reconhece boas práticas adotadas por pessoas físicas e instituições

 

O secretário de Saúde, Osnei Okumoto, foi um dos agraciados com o troféu e o certificado do Prêmio Direitos Humanos do Distrito Federal 2019,  em reconhecimento ao trabalho e dedicação à sociedade civil. A homenagem foi entregue pelo governador Ibaneis Rocha, nesta quarta-feira (4), em cerimônia no Palácio do Buriti.

 

“Esse prêmio foi integralmente pensado, elaborado e trazido a vocês pelo mérito que cada um tem e pelo trabalho junto à sociedade”, afirmou o governador aos agraciados. “Premiamos, de forma simbólica, pelo trabalho magnânimo e belíssimo que cada um de vocês faz”, ressaltou.

 

Para Osnei Okumoto, o reconhecimento se deve ao conjunto de ações desenvolvidas pela pasta voltadas aos diretos humanos da população, garantidos pelos profissionais da área.

 

“O prêmio abarca todas as pessoas que trabalham na Secretaria de Saúde. Todos os nossos colaboradores, incluindo os voluntários, que nos ajudam nos hospitais e possibilita que façamos um atendimento mais humanizado e melhor para a população do DF”, declarou Okumoto.

 

Esta é a primeira edição do Prêmio Direitos Humanos do Distrito Federal, criado pelo GDF e promovido pela Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus) para identificar, reconhecer e divulgar boas práticas adotadas por pessoas físicas e instituições nesta área. No total, foram 60 agraciados, incluindo personalidades e organizações.

 

Entre eles, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), José Antônio Dias Toffoli, e o ministro do STF, Gilmar Mendes, além de outros representantes do Judiciário, do Legislativo, Ministério Público, Defensoria Pública, secretários de Estado do DF, corporações, associações, autoridades eclesiásticas e o diretor-presidente do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (Iges-DF), Francisco Araújo.

 

SELEÇÃO – Os critérios para avaliação e seleção dos homenageados incluíram o histórico de atuação; importância e relevância social do trabalho; criatividade e originalidade das ações, projetos, programas; envolvimento da sociedade civil; inovação metodológica; e relação direta com temas de direitos humanos.

 

Criado em 2019, o prêmio será entregue bienalmente, em anos ímpares. “Nosso objetivo é estimular ainda mais o desenvolvimento de ações e projetos locais voltados aos grupos mais vulneráveis da nossa sociedade”, explicou o secretário de Justiça e Cidadania, Gustavo Rocha, presidente da Comissão Organizadora e Julgadora da premiação, composta ainda por outros integrantes da Sejus.

 

Leandro Cipriano, da Agência Saúde
Fotos: Breno Esaki/Saúde-DF