Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
12/11/13 às 12h57 - Atualizado em 30/10/18 às 15h09

Atividade física previne doenças do coração

COMPARTILHAR

Sedentarismo mata 17,3 milhões de pessoas no mundo

O sedentarismo, um dos principais fatores de risco para as doenças cardiovasculares, foi responsável pela morte de 17,3 milhões de pessoas por doenças cardíacas em 2008 no mundo, 30% do total, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS). Para 2030, estimam-se 23,3 milhões de óbitos. Esta é, inclusive, a principal causa de morte no mundo.

Pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde em 2009 aponta que 16,4% dos adultos são sedentários. Nos períodos de lazer, 25,8% dos brasileiros passam três ou mais horas em frente à TV, e apenas 15% dos adultos são ativos no tempo livre, com maior proporção para os homens (18,5%) em relação às mulheres (12%).

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda a prática de 30 minutos de atividade física, em cinco ou mais dias por semana. Uma prática que, entretanto, é regular apenas entre 33,5% dos brasileiros, segundo dados de 2012, da Pesquisa Vigitel, do Ministério da Saúde.

O exercício físico ajuda a reduzir os níveis de colesterol e triglicérides, diminui a inflamação das artérias, auxilia na perda de peso e a manter os vasos sanguíneos abertos e flexíveis. Em comparação aos indivíduos sedentários, aqueles que se exercitam regularmente apresentam um risco 45% menor de desenvolver aterosclerose coronariana. Além disso, contribui para manter a normalidade do fluxo sanguíneo e da pressão arterial.

Como toda musculatura, o coração se fortalece com a prática de atividade física, de forma que consegue bombear mais sangue para o organismo a cada batimento, alcançando um nível alto de desempenho sem tanto estresse.

Para o cardiologista, Agostinho Caixeta, em palestra no HRPL, a atividade física é muito importante para evitar as doenças do coração, “o remédio não é tudo, os hábitos de vida devem ser mudados, uma boa alimentação aliada a exercícios físicos inibe diversas doenças do coração”, diz.

Agostinho complementa que os exercícios físicos ajuda o ser humano a equilibrar suas emoções, “somos compostos por nossos sentimentos e por muitas vezes os transportamos por décadas e isso é que adoece. O antagonismo, o negativismo, o desequilibro emocional causa as patologias, e o exercício físico ajuda o ser humano a lidar com o estresse e proporciona uma sensação de bem estar, o que faz bem para o bom funcionamento do coração”, explica.

A dona de casa, Petrolina Souza, de 60 anos, começou a praticar a automassagem na regional de Planaltina esse ano, afirma que já sentiu melhoras. “Eu sofria muito com dores no corpo e esses exercícios me ajudaram”, conta.

Aposentado Adolfino Moreira, de 74 anos, está contente. “Gosto muito de participar da automassagem, aqui eu fico muito feliz e falo todos os dias para o meu coração que quero viver mais”, diz.

Priorizando a atividade física para a comunidade, a Secretaria de Saúde do DF foi pioneira, na implantação de Práticas Integrativas da Saúde, sendo Planaltina a primeira região administrativa a adotar a prática de automassagem, hoje com cursos realizados em 65 unidades de saúde e 140 profissionais capacitados para realizar aulas gratuitas para a população e os servidores das unidades de saúde. É oferecida atualmente nas unidades a prática de Tai chi chuam, automassagem, Lian Gong e exercícios de relaxamento.

Por Tatiane Gomes, da Agência Saúde DF
Atendimento à Imprensa
(61) 3348-2547/2539 e 9862-9226