Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
13/08/19 às 15h56 - Atualizado em 13/08/19 às 16h16

Seminário debate hanseníase para fortalecer linha de cuidados

COMPARTILHAR

Evento reuniu 270 pessoas no auditório da Fepecs

 

Cerca de 270 pessoas participaram, na manhã desta terça-feira (13), do I Seminário de Atenção Integral à Saúde da Pessoa com Hanseníase, realizado no auditório da Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde (Fepecs).

 

O objetivo principal do evento foi promover a atualização e discussão de temas relevantes na identificação, notificação e tratamento adequado dos usuários com hanseníase. Tal ação visa contribuir para o fortalecimento da linha de cuidado no tratamento da doença, com foco no cumprimento da meta de eliminação da hanseníase como um problema de saúde pública, proposta pela Organização Mundial da Saúde.

 

A próxima etapa, nesse sentido, será a execução de cursos de capacitação dos servidores da Atenção Primária sobre o tema.

 

DOENÇA – A hanseníase é uma doença infecciosa, contagiosa, que afeta os nervos e a pele. É causada pelo bacilo de Hansen (Mycobacterium leprae). Os pacientes sem tratamento eliminam os bacilos através das secreções nasais, gotículas de saliva, tosse e espirro. O paciente em tratamento regular ou que já recebeu alta não transmite mais a doença.

 

A maioria das pessoas que entram em contato com o bacilo não desenvolve a enfermidade. Fatores ligados à genética humana são responsáveis pela resistência ou suscetibilidade.

 

Entre os sintomas estão fisgadas ou dormência nas extremidades; manchas na pele com perda da sensibilidade ao calor, frio, dor e tato; áreas da pele aparentemente normais com alteração da sensibilidade e da secreção de suor; caroços e placas em qualquer local do corpo; e diminuição da força muscular.

 

Vale lembrar que a hanseníase tem cura. O tratamento é feito nas unidades de saúde e é gratuito. O paciente toma medicação via oral, com associação de dois ou três remédios, denominada poliquimioterapia.

 

Alline Martins, da Agência Saúde

Fotos: Divulgação/Saúde-DF